quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O BATISMO EM NOME DE JESUS

O Tabernáculo da Fé, seguidores de William Marrion Branham, a Congregação Cristão no Brasil, o Ministério ‘Voz da Verdade’, a igreja do Ricardo Nicotra, ex-adventista, entre outros, dizem que o Batismo para ser verdadeiro deve ser feito em Nome de Jesus. Os motivos são que, embora Mateus 28.19 ordene batizar em nome da Trindade, os apóstolos batizaram em nome de Jesus.

Irei comentar algo sobre esse assunto, e indico para informações históricas, exegéticas e teológicas o artigo do Dr Alderi AQUI.
OS CASOS EM ATOS:

Quero começar dizendo que não existe uniformidade na formula batismal em Atos. Veja:

“[...] em nome de Jesus Cristo [...]” Atos 2.38

“[...] em o nome do Senhor Jesus [...] Atos 8.16

“[...] em nome de Jesus Cristo [...]” Atos 10.48

“[...] em o nome do Senhor Jesus [...]” Atos 19.5

Duas expressões usadas. Qual destas? A seita Tabernáculo da Fé diz que o nome ‘Senhor Jesus Cristo’ corresponde aos títulos ‘Pai, Filho e Espírito Santo’. No entanto em Atos isso não foi usado. O profeta de tal seita é muito infantil e alegórico em suas interpretações. Essa é mais uma delas. A CCB faz uma salada, dizendo: ‘em nome de Jesus Cristo te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo’! O Ricardo Nicotra dúvida da autenticidade de Mateus 28.19*.

De qualquer forma temos a questão nevrálgica: Por que os Apóstolos não Batizaram em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo?

Antes de apresentar minha resposta quero dizer que rejeito a ideia, defendida por vários, que batizar em nome de Jesus seja sinônimo estético ou doutrinal de Mateus 28.19. Também concordo plenamente com o Dr Alderi que se o Batismo em Nome de Jesus fosse apenas um esforço de se aproximar de uma prática antiga, sem ligação com o modalismo, não teria problema algum.

Agora sim, apresento como resposta as seguintes proposições:

1) A data da composição de Mateus: Mateus escreveu seu evangelho por volta dos anos 60-70 A.D. Isto é, cerca de 30 a 10 dez anos após os acontecimentos de Atos. Talvez você me critique dizendo que de Mateus 28.19 para Atos 2 são dias, e não anos. Aceito a crítica, mas você também deve lembrar que Cristo disse que os Apóstolos deveriam ir para todas a nações e mesmo assim a igreja em Atos teve dificuldade em cumprir isso e precisou receber visões a posteriores, para cumprir essa comissão. Com a divulgação e distribuição do Evangelho de Mateus, que dizem ter sido redigido primeiro em Hebraico, alguns ensinos ficaram mais refinados e outras práticas foram observadas.

O Didaqué em 110 A.D. cita Mateus 28.19, mas também diz do batismo em ‘Nome do Senhor’. Isto é: Parece que a prática de Atos cedeu lugar ao registro de Mateus.

2) Atos um período de nascimento e amadurecimento: Em Atos vemos os cristãos circuncidando-se, cumprindo algumas cerimônias, ao mesmo tempo que começavam a sentir a nova religião cristã amadurecendo. Sendo assim, poderia ser que a preocupação em usar as palavras de Mateus 28.19 fosse substituída por questões circunstanciais?

3) As variações dos evangelhos sinópticos: É reconhecido que existem variações na maneira de registrar de cada Evangelista. Mateus, Marcos e Lucas diferem-se em estilo e ênfase. Se compararmos a Grande Comissão nos três evangelhos podemos encontrar pistas interessantes para o assunto da postagem:

Marcos registra Jesus dizendo apenas ‘quem crer e for batizado’ (16.16). Lucas por sua vez diz ‘que em Seu nome pregasse o arrependimento para perdão dos pecados’(24.47) e Mateus inclui uma ordem de batizar, ‘em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo’(28.19).

Imaginemos, quais destas perspectivas estariam norteando a prática apostólica em Atos? Em última instância, eles acoplaram a perspectiva lucana. ‘Mas Mateus era apóstolo e estava presente, e Lucas não!’ Sim, no entanto Lucas notificou exatamente a perspectiva dominante entre os cristãos primitivos (Lc 1.1-3).

Creio que esses aspectos ‘explicam’ as discrepâncias nas fórmulas batismais.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

* Mateus 28.19 é autêntico? Para Ricardo Nicotra a passagem trinitária de Mt 28.19 foi incluída por alguns após o Concílio de Nicéia. Da página 42 até 55 de seu livro, ele concentra energias para pelo menos colocar em dúvida a autenticidade das palavras de Mt 28.19. Nicotra diz que existe “evidência histórica de que a versão original muito provavelmente tenha sido adulterada.” (EPSU, p. 53). (Nicotra teria descoberto isso e Deus não foi poderoso em preservar a Palavra Dele...?)


1) Ele mostra que citações de Eusébio de Mt 28.19 não incluem as palavras ‘em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo’, juntamente com a versão de George Howard. 2) Ele apresenta as referências de fazermos o uso do Nome do Senhor Jesus. 3) Todos os batismos realizados em Atos foram feitos em Nome de Jesus. 4) Nenhum outro uso do Nome do Pai do Filho e do Espírito Santo foi usado na Bíblia. 5) Várias autoridades históricas são invocadas para indicar o Batismo em nome de Cristo, ao passo que o batismo, conforme Mt 28.19, seria um desvio.


Analisemos as objeções


1) Sobre Eusébio, Nicotra diz: “Na maioria das vezes suas citações de Mateus 28:19 eram muito semelhantes a esta: “Ide e fazei discípulos de todas as nações em meu nome, ensinando os a observar todas as coisas que eu vos tenho ordenado [...] Temos plena convicção de que se os manuscritos que Eusébio tinha diante de seus olhos dissessem “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” ele jamais teria citado como citou “em meu nome” apenas.” (EPSU, p. 53). Mas depois ele acrescenta duas informações que deixam essa ‘prova’ em suspense:


A) “Segundo a Enciclopédia de Religião e Ética, volume 2, pág. 380, Eusébio citou 21 vezes a comissão de Mateus 28, ou omitindo tudo entre “nações” e “ensinando-os” ou, na forma mais frequente, “fazei discípulos de todas as nações em meu nome”.


B) “É interessante notar que no final de sua vida, após o Concílio de Nicéia, Eusébio incluiu em obras como “Contra Marcelo de Ancira” e “Sobre a Teologia da Igreja” citações de Mateus 28:19 incluindo o batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”


Conclusão: Ricardo Nicotra gira em torno de ‘evidências’ subjetivas. As provas são inconstantes, pois Eusébio não foi textualmente fiel em suas citações, como ele mesmo atestou. Mas mesmo assim, citou o batismo trinitário! Nicotra dificilmente aceitaria 1 João 5.7 por causa da citação de Cipriano, que disse em 250 AD as palavras trinitárias! A ‘prova’ apresentada em torno de Eusébio não é confirmada por nenhum manuscrito. E mesmo que fosse, tais ainda seriam contados e/ou pesados!


Sobre George Howard: Esse mesmo estudioso incluiu o tetragrama no NT para alegria das Testemunhas de Jeová. Um tempo depois rejeitou, ele mesmo, a teoria que apresentou.


Sobre a versão que ele exibe, sem nenhuma prova de um MSS sequer, é impossível agradar até mesmo Nicotra:


““18 Jesus, aproximando-se deles, disse-lhes: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. 19 Ide 20 e ensinai-os a observar todas as coisas que vos ordenei para sempre.” - Mateus 28:18-20. (Na Tradução de George Howard em Hebraico). Por essa versão de Howard nem mesmo o batismo Jesus teria ordenado.


2) 36 textos que ensinam usar o nome de Jesus: Não temos o que dizer aqui. Pois não se trata nenhuma objeção ao ensino de Mt 28.19.


3) Correto. Com isso discordo quando ministros evangélicos celebram casamentos ou oram em Nome do Pai do Filho e do Espírito Santo. Mas não posso discordar de Mt 28.19.


4) Autoridades históricas citadas na página 50: O batismo foi mudado pela igreja católica no segundo século? A fonte não tem a concepção protestante de igreja católica, pois todos sabemos que a Igreja Romano surgiu bem depois. O DIDAQUÊ um documento do fim do primeiro século início do segundo (cerca de 110 AD) já fazia menção do batismo no nome da trindade! Além também de dizer que o ‘batismo era feito no nome do Senhor’...


A citação de Justino é ainda mais problemática. Pois ele estava aqui nesse mundo por volta de 165 AD!!! Se o Didaquê e Justino afirmam o batismo trinitário (com base em Mt) o argumento de Nicotra que o trinitarismo surgiu por volta do sec. IV, vai por água abaixo.






Mateus 28.19 é um forte testemunho em favor da Trindade, mas claro que não é o único. Ricardo Nicotra serviu na verdade, a causa do diabo, quando atacou a confiabilidade bíblica, para atacar a doutrina Trinitariana.


Concluo com uma parte da Teologia Sistemática Trinitariana:


“Na grande comissão missionária para a evangelização das nações como testemunho de Jesus Cristo, pelo poder do Espírito Santo que fora enviado pelo Pai:


“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.” (Mt 28:19). Esse versículo do fim do evangelho de Mateus, certamente é o mais conhecido quando se menciona a doutrina trinitariana. Fica mais do que evidente a existência das três pessoas da Divindade e que são o mesmo Deus, pois Deus não compartilharia essa glória de batizar discípulos Seus de todas as nações com mais ninguém que não "participasse" da natureza divina, ou melhor, que fosse Deus. Cristo disse "em nome" e não "nos nomes". Portanto, Pai, Filho e Espírito Santo representam o nome de Deus.” (p.139).

139 comentários:

  1. RESUMINDO, A TESE DO AMIGO LUCIANO DIZ ASSIM:

    O Senhor Jesus ordenou que seus discípulos batizassem todas as nações em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.( que são 3 pessoas distintas)

    Entretanto, por algumas razões os discípulos de Jesus batizaram os novos convertidos apenas em nome de ’UMA das 3 pessoas distintas’ ( batizaram apenas em nome de Jesus ).

    Consciente ou inconsciente a tese do Luciano leva as pessoas à crerem que os apóstolos não obedeceram 100% a ordenança do mestre, mesmo este ( o mestre ) tendo ordenado que ‘ ensinassem TODAS as coisas que ele havia ordenado’ Mat 28:20.

    Sim, se vamos dar crédito a este raciocínio do Luciano, temos que crermos que os apóstolos não obedeceram 100% a ordenança de Jesus. Porque uma coisa é batizar em nome de 3 pessoas distintas ‘em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo’, outra coisa é batizar em nome de apenas uma pessoa ‘Jesus’.

    ResponderExcluir
  2. Sendo assim, a tese do Luciano nos coloca em um fundamento rachado.

    Eu explico.

    A Bíblia nos diz que nós estamos edificados no fundamento dos apóstolos ...sendo Jesus a principal pedra de esquina.

    “Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; No qual todo o edifício, bem ajustado, cresce ...” Efésios 2:20.

    Agora imaginem um alicerce sem Harmonia onde a principal pedra de esquina ordena uma coisa e o resto do fundamento por algumas razões faz outra! Sem sombra de dúvida o fundamento vai rachar.

    Esse é o fundamento que o Luciano nos apresenta.

    ResponderExcluir
  3. Raimundo, acho que está explicado... quanto a aceitar ou não, o problema é volitivo. Porém, está muito claro que os extremos nas conclusões (nem do seu lado, nem do meu)não respondem satifatóriamente as 'discrepâncias' nas fórmulas batismais, tanto na Bíblia como na história tendo em mira o Didaqué...

    abraços

    ResponderExcluir
  4. Quanto a suposta incoerencia na 'harmonia do fundamento' quem disse é vc, e não eu.
    Lucas está nos dando informações descriotivas, que para a igreja que leu Mt 28 não teve problema algum...

    ResponderExcluir
  5. “O Didaqué em 110 A.D. cita Mateus 28.19, mas também diz do batismo em ‘Nome do Senhor’. Isto é: Parece que a prática de Atos cedeu lugar ao registro de Mateus.”

    O Luciano na tentativa de achar respaldo para sua tese errônea, procura invocar a autoridade de um suposto documento histórico chamado de Didaquê. O Luciano faz isso porque somente na Bíblia ( no Sola Scriptura ) ele não pode encontrar apoio para sua tese.

    Veremos a falácia do suposto documento Didaquê.

    Abaixo citarei parte do chamado “documento” . Retirado do livro; A BIBLIA E SUA HISTORIA , Sociedade Bíblica do Brasil.

    ( Assim se batiza: ...então batize em água corrente, “ em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. Se você não possui água corrente batiza em outra. Se você não pode fazer em água fria use morna. Se você não possui nenhuma dessas opções , derrame água sobre a cabeça três vezes “ em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. Antes do batismo, entretanto aquele que batiza e o que vai ser batizado devem jejuar ...e você deve dizer ao que vai ser batizado para jejuar um ou dois dias antes.)

    Eu pergunto ao Luciano:

    Onde a Bíblia ensina que o batismo tem que ser realizado em água corrente ?
    Onde a Bíblia orienta que deve ser derramado água sobre a cabeça três vezes ?
    Onde a Bíblia diz que tanto aquele que batiza como o que vai ser batizado devem jejuar ?

    Tudo isso é orientação EXTRA Bíblia, doutrinas de homens apenas. Por isso esse tal “documento” não passa de uma falácia, provavelmente escrito por algum herege. Por conta destes disparates não podemos dar crédito a esse tal “documento” como sendo da pura igreja cristã primitiva.

    Será que a IPB obedece esse “ documento”? Como que uma criança recém nascida vai jejuar antes de ser batizada ?

    ResponderExcluir
  6. Mesmo que o Didaquê sejas realmente um documento histórico, o mesmo não está de acordo com o “ documento” Bíblia em relação ao batismo pelas razões citadas acima. Portanto, ainda que quem escreveu possa ser uma pessoa íntegra mas contudo não confere 100% com a Bíblia.

    Nunca é demais citar as palavras do Apóstolo São Paulo.
    "Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema". ( ainda que seja documento muito antigo)
    Gálatas 1:8

    E ainda: Apocalipse 22:18
    Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;

    E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.
    Apocalipse 22:18-19.

    Portanto fora com o Didaquê e vamos ficarmos com o Sola Scriptura.

    Imagine jejuar antes de batizar alguém...coitado do pastor que batiza várias pessoas durante a semana...muito melhor acatar somente as orientações escritas na Palavra de Deus.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Ok amigo Raimundo, mas vc interpretou errado. Eu invoquei o documento para mostrar que a tese em apreço tinha base reccorente na história. Porém, quando senhor WMB invoca informaçoes históricas no Seste Eras para isso vc não o trata assim... Veja eu não nego as informações históricas advindas de sua posição.

    Desculpe-me mas o que usou para refutar a historicidade do Didaquê é pueril demais para ser levado a sério.

    Continuo dizendo que a minha tese responde satisfatóriamente e encontra um equilíbrio sadio entre as discrepâncias nas fórmulas batismais de Atos e Mateus.

    ResponderExcluir
  9. “ Porém, quando senhor WMB invoca informaçoes históricas no Seste Eras para isso vc não o trata assim... Veja eu não nego as informações históricas advindas de sua posição.”

    Luciano, eu não tenho nada contra invocar informações históricas. A minha bronca é contra as informações ” históricas” relativas a doutrinas ou orientações que de alguma forma vão além do contido na Bíblia.

    ResponderExcluir
  10. Certo Raimundo. Mas a sua agressividade para com o didaquê não revela essa ponderação...

    Mas cumpri o que te prometi que seria tratar do 'carro chefe' do tabernáculo.

    E quando possivel me ajude a encontrar como o carro bolha se cumpriu na visão de WMB, até agora não encontrei nada.

    abração

    ResponderExcluir
  11. “Mas cumpri o que te prometi que seria tratar do 'carro chefe' do tabernáculo.”

    Sim Luciano, mas penso que você não esclareceu nada com sua postagem.

    Por exemplo, já que os apóstolos batizaram utilizando somente as palavras Senhor Jesus Cristo no batismo...e Paulo disse que há um só Senhor...e um só batismo...onde encontra-se orientação por parte dos apóstolos que essa fórmula deveria ser mudada?

    Algum tempo atrás você disse que ‘ esse assunto nos escapa’. Ainda pensa assim?

    ResponderExcluir
  12. Jesus manda seus discípulos batizarem em nome de “ três pessoas distintas” e ainda reforça que deveriam ensinar TUDO o que ele havia ordenado.

    Os discípulos de Jesus batizam apenas em nome de uma pessoa... e para você está tudo bem?

    Você continua dizendo... “Continuo dizendo que a minha tese responde satisfatóriamente e encontra um equilíbrio sadio entre as discrepâncias nas fórmulas batismais de Atos e Mateus.”

    Será que você está realmente sendo sincero ?

    ResponderExcluir
  13. "E quando possivel me ajude a encontrar como o carro bolha se cumpriu na visão de WMB, até agora não encontrei nada."

    Sobre o carro parecido com uma bolha de plástico ( sem volante ) já existia projeto desde os dias de WMB, entretanto, parece que até hoje efetivamente só existe em projetos ( projetos existem muitos). Agora, o mundo não acabou ainda creio que a qualquer momento esta visão pode se cumprir.

    Vamos ficarmos atentos aos novos modelos de carro que estão surgindo no mercado, cada dia aparece uma novidade, qualquer hora a visão se cumpre.

    ResponderExcluir
  14. ANALISANDO E COMENTANDO SOBRE A TESE DO AMIGO LUCIANO

    “Quero começar dizendo que não existe uniformidade na formula batismal em Atos. Veja:

    “[...] em nome de Jesus Cristo [...]” Atos 2.38

    “[...] em o nome do Senhor Jesus [...] Atos 8.16

    “[...] em nome de Jesus Cristo [...]” Atos 10.48

    “[...] em o nome do Senhor Jesus [...]” Atos 19.5

    Duas expressões usadas. Qual destas?”

    Isso é simples explicar:

    Antes de lermos o versículo 38 do capítulo 2 em Atos leremos o versículo 36 que diz: “...a este JESUS , que vós crucificastes Deus o fez SENHOR e CRISTO.”

    Estas foram as palavras finais do discurso de Pedro em Atos 2 e pode-se dizer que foi a conclusão do discurso. Sendo assim, é coerente é plausível crermos que no momento do batismo foram usadas as palavras SENHOR JESUS CRISTO, pois a conclusão, o ponto alto do discurso foi que Jesus é Senhor e Cristo, muito embora Lucas não narre Pedro falando o nome Senhor no versículo 38 mas somente no versículo 36.

    Da mesma forma nos outros capítulos de Atos onde ou falta o nome Cristo ou o nome Senhor nas passagens que narram os batismos. Entretanto, todas as narrativas juntas em Atos não fogem do nome SENHOR JESUS CRISTO.

    Outrossim, devemos levarmos em conta que ao nascer Jesus já era CRISTO O SENHOR. Lucas o escritor de Atos assim o deixou registrado em Lc 2:11 “ nasceu o Salvador...que é Cristo O Senhor”.

    Os apóstolos apregoaram que Jesus Cristo é o Senhor...um dia o mundo inteiro vai ter que confessar esta verdade! Queiram ou não queiram.

    Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome;
    para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
    e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.

    Percebemos a profundidade...
    Jesus um dia ordenou que seus apóstolos batizassem TODAS AS NÇÕES em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo... nem todas as nações se importaram em conhecer de fato esse nome. Entretanto, um dia TODAS AS NAÇÕES irão dobrar seus joelhos... agora não as palavras Pai e Filho e Espírito Santo, mas ao nome de Jesus...e suas línguas obrigatoriamente irão confessar que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.

    Jesus Cristo é o Senhor! ...esta será a conclusão final para o mundo inteiro. Todo joelho se dobrará apenas ao nome de Jesus enquanto toda língua confessará que JESUS CRISTO É O SENHOR.

    ResponderExcluir
  15. ANALISANDO E COMENTANDO SOBRE A TESE DO AMIGO LUCIANO.

    “O Didaqué em 110 A.D. cita Mateus 28.19, mas também diz do batismo em ‘Nome do Senhor’. Isto é: Parece que a prática de Atos cedeu lugar ao registro de Mateus.”

    Com certeza a prática de Atos foi modificada sim ( cedeu )...mas, sem autorização dos apóstolos!
    Pois o apóstolo Paulo foi taxativo: “..."Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema".
    Gálatas 1:8.

    O apostolo Paulo tinha tanta certeza do evangelho que ele pregou e praticou ( ncluindo tudo que se refere a evangelho, inclusive batismo ) que ele afirmou que nem ele próprio, nem anjo, poderia mudar. Isso é ter certeza do que esta sendo apregoado!

    Portanto é coerente atentarmos exclusivamente para a prática dos apóstolos ( em Atos ) e não a outros documentos extra Bíblia.

    Ef 4:4-6 “Há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos.”
    OBS. ... Uma só fé, um só batismo.

    At 2.42-43. "E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. Em cada alma havia temor...".

    Obs. ... Pena que esta perseverança e temor na doutrina dos apóstolos não durou muito tempo.

    (...) "Então, irmãos, estai firmes e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa". 2ª Ts 2.15.

    OBS...retendes as tradições...portanto não poderia ser mudado o batismo.
    Sendo assim, a tese do Luciano está definitivamente equivocada.

    ResponderExcluir
  16. ANALISANDO E COMENTANDO SOBRE A TESE DO AMIGO LUCIANO.

    “Atos um período de nascimento e amadurecimento: Em Atos vemos os cristãos circuncidando-se, cumprindo algumas cerimônias, ao mesmo tempo que começavam a sentir a nova religião cristã amadurecendo. Sendo assim, poderia ser que a preocupaçãoem usar as palavras de Mateus 28.19 fosse substituída por questões circunstanciais?”

    Substituir as palavras de Mateus 28.19 por questões circunstanciais? Não...que questões poderiam levar os nossos preciosos apóstolos, nossos pais na fé, a desviarem da ordem completa do mestre?

    "Portanto, convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas... Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;
    Hebreus 2:1-3.

    Vemos pelas escrituras acima que a salvação começou a ser anunciada pelo Senhor Jesus...COMEÇOU não terminou...os apóstolos vão continuar a obra ... confirmando e dando seqüencia ao que Jesus começou.

    Portanto o batismo dos apóstolos não pode ser uma discrepância mas sim uma confirmação...uma concordância...uma harmonia perfeita entre Jesus Cristo e seus apóstolos.

    Quanto a Atos ser um período de nascimento e amadurecimento, concordo, entretanto não podemos usar isso como objeção para duvidarmos da prática do batismo apostólico em nome do Senhor Jesus Cristo.

    Explicando melhor:

    A Bíblia deixa claro que todas as vezes que Pedro errou ele foi corrigido. Quando Pedro ficou receoso em ir aos gentios e cumprir “o ensinai todas as nações” ele teve a visão que o animou e o corrigiu. Portanto Deus sempre corrigiu os erros dos apóstolos, eles não poderiam falhar doutrinariamente, pois Jesus prometeu estar com eles todos os dias...Mateus 28:20.

    Os apóstolos tinham o Espírito Santo e Jesus disse: “...Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade;
    João 16:13.

    Os apóstolos eram guiados em TODA a verdade...como podemos duvidarmos de alguma forma de seus batismos?

    ResponderExcluir
  17. Raimundo, acho que ficando a sua refutação postada os leitores podem pesar a evidencia. Não irei responder de novo para não ficar em 'torno do toco'.
    Agradeço o comentário, errado, mas respeitoso.
    Espero na proxima falar mais do Sete Eras.
    Abraços Deus te abençoe

    ResponderExcluir
  18. Luciano, eu ainda pretendo comentar um pouco mais sobre esta sua postagem, se o amigo não se importar. Você também não precisa necessariamente responder, sei que tens outras coisas para escrever . Todavia, se em algum momento minhas palavras causar algum desconforto você pode tirar meu comentário sem problema algum.

    ResponderExcluir
  19. DISCORRENDO UM POUCO MAIS.

    Parece repetitivo, mas pretendo falar um pouco mais ainda sobre esta aparente “problemática”.
    Para a grande maioria dos irmãos trinitários, os apóstolos não batizaram os novos convertidos utilizando apenas o nome Senhor Jesus Cristo, para eles a fórmula trinitária ( palavras Pai e filhos e E. Santo) foram literalmente invocadas, faladas, no momento do batismo, para “cumprir” Mateus 28:19.

    Entretanto, como temos constatado na postagem, o amigo Luciano e o Pr Alderi, destoam da maioria dos trinitários neste quesito, eles realmente crêem que os apóstolos batizaram ou em nome do Senhor Jesus ou em nome de Jesus Cristo.

    Já postei várias vezes aqui, apontando a falta de consistência desta tese no caso de Deus ser composto de três pessoas distintas, mas penso que é bom ser repetitivo neste caso. Penso que a pior faceta da tese do Luciano é a de que , ainda que talvez inconscientemente, essa tese leva a pessoa a descrer na autoridade apostólica, acreditando que os apóstolos desviaram-se da ordem literal do mestre por algum motivo qualquer. ( o Luciano não consegue explicar de fato qual foram estes motivos )

    E a segunda pior faceta, é crer que a igreja pós bíblica ( segundo século) mudou a fórmula do batismo ( de uma ‘pessoa’ para três ‘pessoas’) naturalmente sem incorrer em erro algum. Mudaram a fórmula que haviam recebido de seus pais os apóstolos como se isso fosse a coisa mais natural do mundo, as recomendações dos apóstolos de ‘reter as tradições’ de nada adiantou.

    (...) "Então, irmãos, estai firmes e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa". 2ª Ts 2.15.

    ResponderExcluir
  20. TESE DO LUCIANO X BÍBLIA SAGRADA

    O apóstolo Paulo assim como Pedro e Filipe também realizou o batismo em nome do Senhor Jesus.
    Aliás, Paulo rebatizou alguns discípulos que ainda não haviam sido batizados em nome do Senhor Jesus em Atos 19:05.

    Ele escreveu...

    “E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” Col. 3:17

    Agora, o mais importante de tudo isso é saber que Paulo recebeu a revelação de seu evangelho direto do Senhor Jesus: ....” Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens.
    Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo.” Gal 3:11-12

    Ele também escreveu...

    "26 Portanto, no dia de hoje, vos protesto que estou limpo do sangue de todos. 27 Porque nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus." (Atos 20:26-27)

    O apóstolo esta dizendo que NUNCA nos deixou de anunciar TODO o conselho de Deus.

    Ele também escreveu...em 1º Cor 14:37 “Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor.”

    Sendo os mandamentos e ensinamentos de Paulo ordens do Senhor, será que o Senhor Jesus iria ordenar um tipo de batismo em um determinado lugar ( Mat 28:19 em nome de 3 pessoas) e depois através de Paulo iria ordenar outro tipo de batismo ( em nome de apenas uma pessoa ) ?

    ResponderExcluir
  21. Raimundo, pelo que li até agora não acredito que será necessário alçgum dia tirar seu comentário! Até pq vc tem sido um cara bem lucido em sua exposição...
    Até hoje eu tirei apenas um comentário do blog, pois o adventista colocou um link de um site pornô.
    Mas eu irei responder alguma coisa, quando necessário. Mas deixarei para o próximo assunto qaundo tratar de WMB (rapaz, parece BMW !!!kkk)
    abraços

    ResponderExcluir
  22. Ok Luciano, obrigado pela oportunidade de poder falar. Embora você defenda fervorosamente sua posição, você nunca negou o direito de resposta a ninguém, além de tratar a todos com urbanidade incluindo uma pitada de senso de humor ( vez em quando) para descontrair , isso é muito salutar.

    Eu preciso de somente mais algumas postagens para concluir este assunto do batismo em nome do Senhor Jesus Cristo.

    ResponderExcluir
  23. Luciano disse:

    1)A data da composição de Mateus: Mateus escreveu seu evangelho por volta dos anos 60-70 A.D. Isto é, cerca de 30 a 10 dez anos após os acontecimentos de Atos.

    O fato do evangelho de Mateus ser escrito 30 a 10 anos após os acontecimentos de Atos ( se é que realmente foi ) não respalda mudança alguma na prática batismal nos dias dos apóstolos.

    Devemos recordar que em Atos 2:37 a pergunta “ que faremos varões irmãos” foi endereçada não somente a Pedro mas também aos demais apóstolos, isto inclui a Mateus também e quando Pedro responde ...” sejam batizados em no de Jesus Cristo” Mateus estava presente e de acordo, já que no versículo 14 Pedro pois se em pé com os onze.

    Os onze apóstolos ficaram de pé junto com Pedro, em sinal de aprovação, que bonito deve ter sido esta cena! Todos de acordo ...portanto com certeza Mateus concordou em tudo com o que foi dito e praticado com relação ao batismo.

    Lembrando sempre que os apóstolos eram dirigidos pelo Espírito Santo. Jesus havia dito que os Espírito Santo iria guia-os em toda verdade e iria fazer lembrar de tudo o que Ele havia falado.

    João 14:26 “o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará LEMBRAR de tudo quanto eu vos tenho dito.”

    Os apóstolos em Atos 2 haviam acabado de receber o Espírito Santo, portanto LEMBRAVAM com certeza das palavras de seu mestre ( em Mateus 28:19) ou será que não lembravam ?

    Mateus 10 diz: 19 Mas, quando vos entregarem, não cuideis de como, ou o que haveis de falar; porque naquela hora vos será dado o que haveis de dizer.
    20 Porque não sois vós que falais, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós.

    Será que foi Pedro ou foi o Espírito Santo que falou em pentecostes? E se o Espírito Santo falou em pentecoste Ele mudaria o discurso alguns anos depois em relação ao batismo ?

    Sendo assim, podemos dizer que, a mudança na prática batismal ...de em nome do Senhor Jesus Cristo para ‘ Pai , Filho e E.Santo, não foi nos dias dos apóstolos, portanto uma mudança extra Bíblica, sem aprovação do Espírito Santo.

    ResponderExcluir
  24. FÉ QUE UMA VEZ POR TODAS FOI DADA AOS SANTOS.
    Epístola de S. Judas; ARA

    1.3 Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos.

    Fé que uma vez por TODAS foi dada aos santos... agora perguntamos... e em relação ao batismo? Os santos em Atos e também nas cartas de Paulo, foram batizados pelos apóstolos em nome de apenas uma pessoa...os santos depois de Atos (depois dos dias bíblicos) foram batizados em nome de “3 pessoas” ... em prol de qual fé este apóstolo está dizendo que devemos batalhar?

    Sem sombra de dúvida é a fé que foi ensinada e praticada pelos apóstolos. Os apóstolos entenderam a linguagem de Jesus.

    ResponderExcluir
  25. “Porque eu sei isto, que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não perdoarão ao rebanho; e que dentre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos para si” (At. 20:29-30)

    O apóstolo Paulo sabia que depois de sua partida entraria lideres cruéis no meio do rebanho...portanto devemos termos o Maximo de cuidado com documentos extra bíblicos e com dogmas forjados em concílios depois da parida de Paulo.

    E mais uma vez, o que dizer sobre o batismo mediante Atos 20:29-30? Nitidamente Paulo está orientando que devemos ficarmos inteiramente com o que ele ensinou.

    Se ele ensinou e praticou o batismo em nome do Senhor Jesus Cristo, devemos fazermos exatamente como ele fez.
    Pois ele disse:...” Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens.
    Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo.” Gal 3:11-12

    E ainda:
    ..., no dia de hoje, vos protesto que estou limpo do sangue de todos. Porque nunca deixei de vos anunciar TODO o conselho de Deus." (Atos 20:26-27)
    1º Cor 14:37 “Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor.”
    Portanto qualquer tese que não enquadra 100% com o evangelho de Paulo é errada.

    E esta tese do Luciano não combina 100% com o evangelho de Paulo. O batismo da IPB não combina 100% com o evangelho de Paulo, portanto...

    ResponderExcluir
  26. Raimundo, cuidado com essas palavras, tendo vista o que Mateus escreveu:"Sendo assim, podemos dizer que, a mudança na prática batismal ...de em nome do Senhor Jesus Cristo para ‘ Pai , Filho e E.Santo, não foi nos dias dos apóstolos,>> portanto uma mudança extra Bíblica, sem aprovação do Espírito Santo.<<"

    O Apóstolo Mateus não concordaria com vc.

    ResponderExcluir
  27. Palavras do Luciano.
    “Raimundo, cuidado com essas palavras, tendo vista o que Mateus escreveu”
    “O Apóstolo Mateus não concordaria com vc.”

    Luciano, obrigado pela advertência, mas parece que você não está percebendo a diferença entre ordenança batismal e prática batismal.

    O que eu escrevi é que a mudança na PRÁTICA batismal não ocorreu nos dias dos apóstolos ( vou explicar mais sobre isso)
    O que Mateus escreveu foi o registro da ORDENANÇA batismal ( Mat. 28:19) e não registro de PRATICA batismal.

    Temos que termos em mente que existe uma diferença entre ordem e cumprimento da ordem. Diferença entre ordenança e prática.
    Vou explicar mais sobre

    ResponderExcluir
  28. Isso que estou tentando explicar é muito simples.

    Veja Luciano como é simples e fácil de entender:
    O que Mateus registrou em seu evangelho ( Mat. 28:19 ) no ano 60-70 A.D. já era uma ordem conhecida pelos 11 apóstolos desde o ano 33 A.D. ( exceto Paulo ).

    Sim, obviamente já era uma ordem conhecida pelos 11 porque Jesus deu esta ordem na presença dos 11 conforme Mateus 28:16.

    Os apóstolos tendo ouvido esta ordem direta do Mestre ( sem intermediários ) praticaram o batismo em nome do Senhor Jesus Cristo, entenderam ( praticaram ) a ordem dessa maneira, inclusive com apoio do próprio S. Mateus, este que escreveria um dos evangelhos mais tarde que registraria a ordem do mestre para batizar.

    Lembrando sempre que o Espírito Santo dirigia os atos dos apóstolos em tudo, mentiras não havia entre eles, quando alguém mentia aos apóstolos morria, como foi com Ananias e Safira em Atos 5:1-11.( veja a qualidade do Espírito que norteava e dirigia estes apóstolos)

    Sendo o evangelho pregado desta forma pelos apóstolos, será possível que um belo dia ( 40 anos depois) Mateus resolve escrever um evangelho, com intuito de informar que os batismos já praticados, até aquela data, pelos apóstolos estavam equivocados? Ou que eles mesmos, os apóstolos, não estavam até aquela data praticando tudo que Jesus ordenou ?

    Alguém pode responder “...Não, o intuito de Mateus era só deixar registrado o que Jesus fez e ordenou.” Concordo.

    Mas agora vem a pergunta crucial.

    Sendo que os próprios apóstolos que ouviram diretamente do mestre a ordem de batizar ‘ em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo’ entenderam que o batismo deveria ser realizado em nome do Senhor Jesus, porque aqueles ( a igreja) que leram o evangelho de S Mateus ( nos anos 60-70) haveria de mudar a prática de batismo ?

    ResponderExcluir
  29. RESUMINDO...O LUCIANO QUER DIZER O SEGUINTE:

    Os apóstolos ouvem do próprio Senhor a ordem de batizar em ‘nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo’ e entendem que devem realizar os batismos em nome do Senhor Jesus Cristo ( uma pessoa ).

    Já a “ igreja” lê as mesmas palavras do Senhor em Mateus 28:19 ( nos anos 60-70 A.D.) e entende diferente, entende que devem realizar o batismo repetindo as palavras ‘ em nome do Pai e do Filho e do E. Santo ( que são três pessoas distintas).

    ResponderExcluir
  30. Pergunto tem coerência essa tese?

    A igreja não deveria compreender do jeito que os apóstolos compreenderam ?

    Se leram as mesmas palavras que os apóstolos ouviram porque praticar diferente?

    E os apóstolos que já vinham batizando em nome do Senhor Jesus Cristo, Pedro e Paulo, mudaram a prática do batismo depois de tomarem conhecimento do evangelho de S. Mateus nos anos 60-70 A.D. ? Que absurdo.

    Agora, eu afirmei e reitero que a mudança da prática batismal ( não o registro da ordenança ) foi após os tempos Bíblicos. Pelo simples fato de não existir prática de ( ou narração de ) batismo na Bíblia incluindo Atos dos Apóstolos e Epístolas de Paulo que não convergem para o batismo em nome do Senhor Jesus Cristo.

    ResponderExcluir
  31. Eu consegui ler tudo até aqui rsrsrs.
    Queria parabenizar aos dois irmãos que com inteligencia a maturidade tem exposto aqui suas opiniões divergentes, na verdade, mas sempre num bom espírito cristão

    ResponderExcluir
  32. Eu gostaria de pedir licença aos dois colegas para registrar aqui parte de um artigo escrito por Alderi Souza de matos, imagino que já conheçam este artigo, assim só postarei uma parte do mesmo.

    -------------------
    "III. O Batismo em Nome de Jesus
    É relativamente certo que na igreja primitiva o batismo era sempre ministrado “em nome de Jesus” ou uma fórmula semelhante. Em Atos, Lucas preserva duas versões da fórmula original: “em (en,epi) nome de Jesus Cristo” (2.38; 10.48) e “em (eis) o nome do Senhor Jesus” (8.16; 19.5). A primeira está diretamente ligada a Pedro em suas duas corrências. De acordo com Hartman, ela exemplifica “a técnica de Lucas como autor de deixar que os personagens do seu livro falem de um modo que lhes era adequado."

    ResponderExcluir
  33. Assim,Pedro, o apóstolo reverenciado, expressa-se em um estilo bíblico,”uma vez que en/epi [18] to onoma é comum na Septuaginta. A segunda fórmula é usada duas vezes pelo narrador. “Em o nome” não ocorre, seja na Septuaginta ou no grego normal, senão na linguagem bancária, na qual se referia à conta ou nome no qual era colocada uma soma de dinheiro.
    Quando procuramos averiguar o significado da expressão “batismo em nome de Jesus”,vários elementos precisam ser considerados. Um deles é o uso de “nome” em Atos. O termo onoma ocorre aproximadamente cinqüenta vezes no livro e está relacionado com Cristo mais de trinta vezes (as outras ocorrências referem-se a Deus ou a personagens humanos). A expressão “em nome” é utilizada em conexão com curas e exorcismo com o
    sentido de “no poder de” ou “com a autoridade de” (3.6; 4.7,10; 16.18), e em conexão com a proclamação do evangelho em face de oposição (4.17s; 5.28,40; 9.27s). Em pelo menos um exemplo a expressão tem virtualmente o sentido de “o próprio Jesus” (3.16a). Quando observamos outros exemplos, verificamos que mais comumente a palavra “nome” significa simplesmente a pessoa de Jesus (4.12,30; 5.41; 8.12; 9.16; 10.43; 19.17; 21.13).

    Hartman faz uma observação importante ao comentar que “tanto no grego bíblico como nas tradições rabínicas as expressões com ‘nome’ podem ser um tanto frouxas e ter um peso relativamente pequeno.”
    Em uma discussão rabínica, pode-se passar de “em nome [20] de x” para “em x” sem mudar o significado da expressão, à semelhança do que ocorre em Lc 21.12 e Mc 13.9b ou em At 10.43 e 13.38. Essa certamente é uma pista importante quanto ao significado de “batismo em o nome de Jesus” – é um batismo direta e intimamente relacionado com Cristo ou, nas palavras de Leenhardt citadas por Beasley-
    Murray, “um rito que extrai todo o seu significado da pessoa de Cristo e do relacionamento estabelecido com ele.”

    ResponderExcluir
  34. Desde que W. Heitmüller publicou seu clássico estudo Im Namen Jesu em 1903, uma opinião comum entre os estudiosos tem sido de que o batismo em nome de Jesus transmite a idéia de apropriação, dedicação, submissão. A pessoa batizada era
    consagrada a Jesus, tendo se tornado sua propriedade. Isso está em consonância com o
    significado grego de
    eis to onoma
    , que, como foi visto anteriormente, era usado na
    terminologia bancária greco-helenística. Outra interpretação foi proposta por P. Billerbeck
    em 1922. Partindo do uso hebraico-aramaico, ele concluiu que eis to onoma significa “com respeito a, para o benefício de, por causa de.” Eventualmente observou-se que as duas abordagens eram muito semelhantes em suas implicações, na medida que apontavam para uma condição de pertencer a Cristo ou ao Deus triúno. Não obstante, Beasley-Murray prefere a segunda linha de interpretação por causa de sua origem semítica e maior elasticidade de aplicação.

    Hartman defende uma interpretação alternativa baseada nos usos do termo hebraico-aramaico
    leshem nos textos rabínicos. Ele conclui que “‘em nome de Jesus’ era acima de tudo uma definição, uma expressão que mencionava a referência fundamental do batismo cristão que o distinguia de outros ritos,... é muito provável que a fórmula em especial delimitasse o batismo cristão em relação ao de João.”Portanto, o batismo em nome de Jesus era um “batismo de Jesus.”

    Parece que a interpretação proposta por Billerbeck e apoiada por Beasley-Murray está mais de acordo com os dados bíblicos e a notória diversidade e flexibilidade típicas de Atos. O próprio Hartman admite que “implicações mais específicas da expressão provavelmente foram diferentes em diferentes épocas e lugares.”O batismo em nome
    de Jesus era um batismo com referência a ou por causa de Jesus, e isso certamente põe em destaque a forte ênfase cristológica associada com esse rito em todo o livro de Atos.

    Essa fórmula teria sido amplamente utilizada na igreja primitiva, e certamente o foi na comunidade de Lucas. Provavelmente umas poucas décadas depois a fórmula trinitária ou triádica (Mt 28.20) teria se tornado padrão na igreja “católica,” com essencialmente o mesmo significado: batismo com referência a ou por causa do Deus triúno. No primeiro século já existia a consciência de que o batismo envolve o novo crente com o Pai, Jesus
    Cristo e o Espírito Santo. As pesquisas dos estudiosos têm demonstrado o quanto a linguagem trinitária do Novo Testamento está associada com o batismo. Todavia, essa ordenança era entendida como tendo uma associação particularmente forte com Jesus Cristo e isso explica a fórmula mais sucinta então usada.

    ResponderExcluir
  35. As considerações dos parágrafos anteriores levantam outra questão interessante: O nome de Jesus era realmente mencionado na ministração do batismo? O entendimento predominante é que temos aqui uma formulação litúrgica. As palavras “em nome de
    Jesus” são mais que uma expressão descritiva do significado do batismo, mas eram também proferidas na cerimônia batismal. Parece que o nome de Jesus era confessado e invocado pelo candidato (At 22.16; ver Rm 10.9). À luz de Tg 2.7 também é provável que
    o nome fosse invocado sobre o novo crente. Esta seria uma evidência adicional de que o batismo era por causa de Jesus Cristo e, portanto, em submissão a ele como Senhor e Rei.

    ResponderExcluir
  36. Alguns estudiosos vêem um estreito paralelo entre a fórmula mais breve de Atos e algumas expressões batismais paulinas. G. W. Bromiley observa: “O traço distintivo do batismo cristão está no fato de que é ministrado eis Christon ou eis to onoma
    Christou .”
    Paulo tem ambos. O batismo em (eis) o nome de Cristo está implícito em 1Co 1.13,15, onde “a negação por parte de Paulo de que os coríntios foram batizados em seu nome é uma declaração indireta de que eles foram batizados em nome de Cristo, e com certeza nele somente.”

    Outra referência definida é encontrada em 1 Co .11, onde, em clara linguagem triádica batismal, o apóstolo afirma que os coríntios haviam sido
    lavados, santificados e justificados em (en) o nome do Senhor Jesus e no Espírito de Deus. O sentido é o mesmo: “O batizado agora pertencia ao Senhor Jesus Cristo.” A outra expressão, tipicamente paulina – eis Christon
    – é encontrada em Gl 3.27 (ver Rm 6.3; 1 Co 10.2). Beasley-Murray atribui grande importância a esse verso: “Para a interpretação do batismo feita por Paulo, Gl 3.27 é significativo... Dessa noção básica resultam as outras características do batismo que ocorrem em Paulo.”Ele a considera
    uma abreviação de “em nome de Cristo.” Obviamente, o livro de Atos não contém as noções batismais cristológicas altamente desenvolvidas que são características de Paulo.

    Todavia, esses paralelos são importantes e provavelmente refletem uma origem comum.

    ResponderExcluir
  37. Finalmente, chegamos à consideração das passagens nas quais é encontrada a fórmula “batismo em nome de Jesus.” Entendemos que a expressão é explicitamente mencionada nessas quatro passagens porque elas são pontos de transição fundamentais na vida e na missão da igreja primitiva, nos quais era especialmente necessário declarar o pleno sentido do batismo cristão.

    Atos 2.38
    A primeira ocasião em que se menciona o batismo em nome de Jesus é certamente singular. Segundo a narrativa, essa foi a primeira vez em que foi ministrado o batismo cristão. Era altamente importante explicitar o que significava o batismo, o que havia de novo quanto a ele. A ocasião era extremamente significativa. Era o dia de Pentecostes. De acordo com a promessa de Jesus (1.4-5), o grupo inicial de crentes (1.13-15) havia
    sido batizado ou revestido com o Espírito Santo. Da perspectiva de Lucas, Jesus havia indicado claramente qual era o principal propósito da dádiva do Espírito: capacitar os discípulos para a sua missão mundial, começando em Jerusalém (1.8). No mesmo dia, o Senhor lhes deu a primeira oportunidade para testemunhar. À medida que os discípulos,
    movidos pelo Espírito, começaram a falar em outras línguas, uma grande multidão foi atraída pelo intrigante fenômeno. A multidão era composta de judeus palestinos e da Diáspora, bem como de gentios prosélitos e “tementes a Deus” que haviam vindo de muitas nações para celebrar a festa de Pentecostes em Jerusalém.

    Pedro, o líder e porta-voz dos discípulos, aproveitou a oportunidade e proferiu uma mensagem vibrante na qual explicou os acontecimentos recentes e apresentou a Jesus. Após a sua crucificação e morte, ele havia sido ressuscitado por Deus, fato de que todos eles eram testemunhas (2.32). Esse Jesus ressurreto e exaltado havia sido declarado Senhor e Messias e derramado o Espírito Santo sobre os seus discípulos (2.33,36). Foi
    dito àqueles que aceitaram a mensagem (2.37,41a) que deviam arrepender-se e ser batizados em nome de Jesus Cristo. Em conseqüência, seus pecados seriam perdoados e eles receberiam o dom do Espírito. Esse evento assinalou a sua admissão à comunidade
    dos crentes (2.41-47).

    O batismo não era uma novidade para essas pessoas. João estivera batizando (1.5a) e o batismo de prosélitos era uma prática comum entre os judeus. O novo elemento neste batismo é que ele foi ministrado “em nome de Jesus Cristo.” Ele expressava um novo relacionamento e compromisso com o Senhor e Messias proclamado pelos primeiros
    discípulos. Alguns comentaristas acreditam erroneamente que as palavras de Pedro significavam simplesmente: “Sede batizados segundo a autoridade que Jesus nos conferiu.” Os discípulos certamente tinham tal autoridade, mas o significado é mais
    profundo que esse. Epi to onomati (alguns manuscritos têm en to anomati) é coerente com o
    epikalein de Tg 2.7, onde o sentido é pronunciar o nome de alguém sobre outra pessoa. Como o nome de Jesus Cristo é pronunciado sobre o candidato, ele é colocado sob a autoridade de Jesus; em conseqüência disso, seus pecados são remidos e ele recebe o Espírito Santo.

    ResponderExcluir
  38. Autores como J. Weiss, Jackson-Lake e Silva New questionaram a autenticidade de Atos 2.38, uma vez que a sua referência ao batismo com água parece inconsistente com a experiência dos primeiros discípulos e com as palavras de Jesus em 1.5, que implicam em um batismo no Espírito como substituto do batismo em água, não como conseqüência do
    mesmo. Todavia, o verdadeiro contraste mostrado aqui não é entre o batismo com água e o batismo com o Espírito, mas entre o batismo de João e o batismo cristão, ou seja,batismo “em nome de Jesus.” A primeira ocorrência da expressão em Atos também é importante por ser acompanhada de virtualmente todos os elementos associados com o batismo em outras passagens: proclamação, fé, arrependimento, perdão dos pecados, o dom do Espírito e admissão à
    comunidade. Os únicos elementos que faltam são a imposição de mãos e o falar em línguas, os quais, em outras passagens, são respectivamente uma condição e uma conseqüência do dom do Espírito. Ao mesmo tempo, é importante ressaltar que essa
    primeira menção do “batismo em nome de Jesus” está diretamente associada a uma conexão trinitária mais ampla (2.32-33,38-39).

    ResponderExcluir
  39. Atos 8.16
    A próxima referência ao batismo em nome de Jesus também ocorre em circunstâncias peculiares. A missão da igreja primitiva havia acabado de entrar no segundo estágio prescrito por Jesus em Atos 1.8 – Judéia e Samaria (8.1). Dois elementos novos e
    especiais se associam: (a) Pela primeira vez em Atos, os discípulos de Jesus ingressam em território não-judaico para pregar o evangelho. Embora os samaritanos tivessem fortes ligações territoriais e raciais com os judeus, eles estavam fora do povo de Israel e experimentavam notórias dificuldades no seu relacionamento com os judeus (Jo 4.9). (b) Além disso, o primeiro missionário em Samaria não é um dos doze, mas um dos sete escolhidos para ministrar aos necessitados da comunidade de Jerusalém – Filipe, o evangelista, que não deve ser confundido com Filipe, o apóstolo (6.5; ver 1.13). Os eventos são exatamente o que Lucas considera tão importante: Filipe prega o
    evangelho (8.5,12) e os samaritanos aceitam a mensagem com fé e alegria (8.8,12),sendo posteriormente batizados. Eles ouvem as boas novas sobre o nome de Jesus Cristo e então são batizados em nome do Senhor Jesus (8.12,16). O fato estranho é que eles não recebem o Espírito Santo imediatamente. Os apóstolos de Jerusalém parecem
    considerar isso normal. Eles enviam Pedro e João, que oram pelos convertidos, impõem as mãos sobre eles e eles recebem o Espírito.

    Para Lucas, o fato de que os samaritanos não foram simplesmente batizados (v. 12), mas batizados em nome do Senhor Jesus (v. 16) certamente é significativo. Eles, que haviam estado separados dos seus vizinhos judeus, agora estavam unidos a eles através de sua conexão comum com Jesus Cristo. No seu caso, essa implicação dupla do batismo era
    particularmente essencial para Lucas: através do batismo em o nome de Jesus, eles estavam unidos ao Senhor e aos seus irmãos judeus na mesma comunidade de fé. O elemento intrigante desse quadro é o fato de que, além de serem batizados, eles precisaram da imposição das mãos dos apóstolos a fim de receber o Espírito. Beasley-Murray aborda várias dificuldades levantadas pela narrativa e emite a opinião improvável de que os samaritanos haviam recebido o Espírito Santo; o que lhes faltava eram “os
    dons espirituais que caracterizavam a vida comum das comunidades cristãs.” Não parece ser isto o que Lucas teve em mente ao escrever os versos 14 a 17. Antes, esse é outro exemplo de falta de niformidade nas práticas da igreja antiga descritas em Atos. A
    situação era peculiar. Havia a necessidade de uma manifestação especial do Espírito Santo para tranqüilizar tanto os samaritanos como os líderes em Jesuralém. F. F. Bruce observa que esta foi uma eloqüente certeza dada aos samaritanos, transmitida não por um evangelista independente como Filipe, mas pelos líderes da igreja de Jerusalém, no sentido de que eles não mais seriam tratados como forasteiros, e sim como membros fraternos da comunidade.

    Os episódios que envolveram Simão (vv. 9-11,13,18-24) mostram que a questão da imposição de mãos é importante para Lucas e para a sua comunidade. Essa prática novamente é relacionada com o batismo e o dom do Espírito nas histórias de Paulo (9.17)
    e dos discípulos de Éfeso (19.6). A oração e a imposição de mãos também são mencionadas em conexão com o comissionamento dos sete (6.6), de Barnabé e Saulo (13.3) e de curas (28.8).

    ResponderExcluir
  40. Atos 10.48

    Ninguém pode questionar a tremenda importância dessa história no contexto geral de Atos. Ela ilustra claramente o desafio mais importante enfrentado pela igreja primitiva: a inclusão dos gentios em uma comunidade de discípulos que, a essa altura, era quase inteiramente judaica.

    Haenchen argumenta que Lucas está se debatendo, desde a primeira página até a última (1.8—28.28), com o problema da missão aos gentios sem a lei.
    Em Lucas-Atos, o [37] cristianismo (“o caminho”) não é uma religião que acabou de começar; é a antiga religião que se origina na lei e nos profetas, encontra expressão plena no ministério de Jesus e continua na igreja. Assim, em Atos, os líderes da missão cristã, longe de abandonarem a
    sua fé judaica, de fato apegam-se a ela, mas “Deus inequivoca e irresistivelmente os guia
    na missão aos gentios.

    Para Lucas, esse episódio é tão importante que ele o narra duas vezes: após a narrativa detalhada do capítulo 10, Pedro relembra os principais fatos no capítulo seguinte. Aqui o evangelho está sendo pregado pela primeira vez aos gentios por um dos doze – não qualquer um, mas Pedro, o líder dos apóstolos. Esse é um marco na missão cristã, pois
    agora “também os gentios haviam recebido a palavra de Deus” (11.1b). A narrativa é cheia de ocorrências sobrenaturais. Para Lucas, Deus claramente tem o pleno controle dos eventos. Deus supera todos os preconceitos do coração de Pedro e o compele a anunciar o evangelho a um numeroso grupo reunido na casa de Cornélio (10.24). No
    momento decisivo, quando Pedro está declarando que todo o que crê em Jesus recebe perdão de pecados através do seu nome (v. 43b), o Espírito Santo cai sobre os ouvintes, que então falam em línguas e posteriormente são batizados em nome de Jesus.
    A narrativa acentua a importância atribuída ao batismo. Seria natural supor, especialmente à luz de 11.15-16, que tão poderosa manifestação do poder de Deus nas vidas daqueles gentios, concedendo-lhes o dom do Espírito, tornaria desnecessário o batismo com água. Não haviam eles recebido a bênção maior independentemente do batismo? O que é excepcional, todavia, não é a ministração do batismo em nome de
    Jesus àquelas pessoas. Para Lucas, isso devia ser esperado, particularmente nessa ocasião histórica em que os gentios pela primeira vez foram admitidos à igreja pela instrumentalidade de um apóstolo. Lucas quer deixar isso claro: os crentes gentios têm direito à plena filiação à comunidade, tanto quanto os seus irmãos e irmãs judeus. Isso só
    é possível por causa da sua comunhão em Jesus Cristo e do seu compromisso com ele, proclamados em seu batismo.

    O que é de fato excepcional nesse episódio é a concessão do Espírito Santo antes do batismo com água. Em nenhum outro lugar do livro se registra evento semelhante. Esse é mais um exemplo do papel central desempenhado em Atos pelo Espírito Santo, em conexão com a vida e a missão da igreja primitiva. É somente o ministério do Espírito que
    torna possível a missão aos gentios. O que vemos aqui é “uma intervenção divina numa situação altamente significativa, ensinando que os gentios podiam ser admitidos à igreja pelo batismo, mesmo sem ter removido a sua impureza através da circuncisão e de sacrifícios.
    39

    ResponderExcluir
  41. Atos 19.5

    A última referência ao batismo em nome de Jesus novamente é encontrada na narrativa de um episódio muito excepcional. O avanço da missão cristã registrado por Lucas já está em meio à sua terceira etapa (“até os confins da terra”). Jerusalém, Judéia e Samaria não mais são o ponto focal; Pedro e os onze saíram de cena completamente. O contexto
    é o início do ministério de Paulo em Éfeso, durante a sua terceira investida missionária na


    Ásia Menor.
    As referências ao batismo de João em 18.25 e 19.3-4 estabelecem uma conexão entre as histórias de Apolo e dos “discípulos” de Éfeso, embora certamente as diferenças sejam mais notáveis que as semelhanças. Beasley-Murray observa que naqueles dias
    provavelmente havia grupos de pessoas batizadas por seguidores de João Batista que se achavam em diferentes graus de distância da igreja cristã.

    De qualquer modo, as situações de Apolo e dos discípulos de Éfeso não devem ser identificadas.
    A coisa intrigante acerca de Apolo é a imagem de um homem que era um seguidor e proclamador de Jesus Cristo, mas aparentemente não havia sido batizado em nome de Jesus nem havia recebido o Espírito Santo. O verso 25 sugere que ele pode ter sido um
    discípulo de João que uniu-se à comunidade cristã e tornou-se um pregador do evangelho. É improvável que ele fosse recebido pela igreja como irmão e obreiro cristão se não houvesse a certeza de que tinha o Espírito Santo.

    Lucas parece pressupor isso,pois seria inconcebível pensar em um evangelista cristão sem o Espírito.
    A expressão to pneumati zeontes pode ser entendida como uma referência ao fato de ele ter o Espírito, especialmente por estar entre uma cláusula que descreve Apolo como versado no evangelho e outra que declara que ele o pregava. Uma vez que Apolo pode ter tido ligações com um grupo cristão periférico, como a sua ignorância do batismo
    cristão parece indicar, a sua fé é colocada em sintonia com o que Lucas considera o cristianismo majoritário.

    Isso irá permitir que ele se torne um figura de destaque nos círculos paulinos (At 18.27; 1 Co 1.12; 3.5-6,22). Assim, a sua experiência se assemelha à dos 120 discípulos originais, embora ele não fosse uma testemunha da ressurreição. Por
    outro lado, o silêncio do texto não prova que Apolo não foi batizado após ter sido instruído por Priscila e Áqüila. Se o foi, é surpreendente que isso não seja mencionado. A situação dos efésios do capítulo 19 é muito diferente. A sua conexão com Jesus parece ter sido muito mais tênue. Por um lado, eles são descritos como “discípulos,” palavra que em todas as suas outras trinta ocorrências em Atos designa seguidores de Jesus Cristo.

    Eles também são descritos como tendo se tornado crentes, presumivelmente em Jesus (v. 2). Por outro lado, eles não possuem qualquer conhecimento do batismo cristão e do Espírito Santo, e o seu conhecimento do evangelho é muitíssimo limitado (vv. 2b-4). Aos olhos de Paulo, esses homens não são cristãos. Após ouvirem o evangelho, eles são
    batizados em nome do Senhor Jesus, de modo que, de agora em diante, a sua nova conexão com Cristo e o seu compromisso com ele se tornam explícitos. A sua recepção do Espírito Santo através da imposição de mãos de Paulo e os dons audíveis de glossolalia e
    profecia servem como uma confirmação adicional a eles e aos outros de sua nova posição em Cristo. Marshall observa que esse é o único caso registrado no Novo Testamento de pessoas que receberam um segundo batismo.

    ResponderExcluir
  42. Conclusão

    Essas duas últimas passagens, e especialmente as perguntas de Paulo em 19.2-3,confirmam as afirmações feitas pela igreja primitiva acerca do Espírito Santo e do batismo: ninguém pode ser um genuíno crente em Jesus Cristo sem receber o Espírito Santo; a dádiva do Espírito é geralmente, mas não exclusivamente, concedida através do
    batismo; o batismo cristão, em contraste com o batismo de João, é realizado em nome de Jesus.

    Lucas confirma esses pressupostos básicos, mas também registra fielmente algumas notáveis exceções à norma. É precisamente nesses casos excepcionais que Lucas inclui três das suas quatro referências ao batismo em nome de Jesus (8.16; 10.48; 19.5). A ordem e o número dos eventos associados com o batismo podem variar, mas o batismo cristão é sempre um batismo em nome de Jesus. Beasley-Murray sintetiza o assunto de maneira apropriada: Vez após vez tivemos a oportunidade de lembrar que o batismo cristão é um batismo em nome do Senhor Jesus; nele o nome do Senhor é invocado sobre o batizando, declarando que ele pertence ao Senhor, e o nome é confessado e invocado pelo batizando. É esse
    relacionamento confesso com o Redentor crucificado e ressurreto que constitui o batismo cristão e é decisivo para o seu significado.

    Nas décadas iniciais do movimento cristão era natural que o batismo fosse ministrado em nome de Jesus, uma vez que a pessoa e obra de Jesus eram as principais fontes da identidade do movimento e o principal enfoque da sua missão. Eventualmente, à medida que o cristianismo penetrou mais amplamente no mundo gentílico, também tornou-se necessário que os novos convertidos expressassem o seu compromisso com o Deus cristão, o Pai, quando renunciavam aos seus antigos deuses. Além disso, desde o início o
    Espírito Santo teve a associação mais íntima possível com Jesus, com o batismo e com a igreja.

    Os cristãos tinham a convicção de um relacionamento especial com três: o Pai, Jesus e o Espírito. No final do primeiro século ou no início do segundo, a fórmula ensinada por Jesus e preservada no final do Evangelho de Mateus tornou-se a maneira usual de
    expressar essa tríplice conexão: batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

    *O autor Alderi Souza de Matos, é ministro da Igreja Presbiteriana do Brasil, mestre em Novo Testamento (S.T.M., Andover Newton Theological School, Newton Centre, EUA) e doutor em História da Igreja (Th.D., Boston University School of Theology, EUA). É professor de História da
    Igreja no Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper, no Seminário Presbiteriano Rev. José Manoel da Conceição e na Escola Superior de Teologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie. É um dos editores de Fides Reformata.

    ResponderExcluir
  43. Eu procurei postar aqui parte do artigo deste autor, desculpe irmão Luciano pelo espaço ocupado. Sinta-se livre como gerenciador do blog para apagar as postagens caso não condizem com a ideia inicial do tema aqui discutido.

    Não vejo este como um espaço onde tentaremos convencer quem quer que seja, mas é uma boa forma de expressarmos nossas diferentes opiniões, e cada um decida por sí mesmo.

    E não esqueçamos de orar uns pelos outros porque o tempo se abrevia.
    Abraços

    Ir. Rosendo

    ResponderExcluir
  44. Roseno, vc leu a postagem? obrigado pela visita, mas observe bem o segundo parágrafo, ok?
    abraços

    ResponderExcluir
  45. ...OS APÓSTOLOS TINHAM O ENTENDIMENTO ABERTO PARA COMPREENDEREM AS ESCRITURAS.

    Lucas;
    24.44 A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos.

    24.45 Então, lhes ABRIU O ENTEDIMENTO PARA COMPREENDEREM AS ESCRITURAS;

    24.46 e lhes disse: Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia

    24.47 e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém.

    É muito importante compreendermos que os apóstolos tiveram o entendimento aberto para compreenderem as escrituras. Por isso, devemos praticar o batismo do jeito que eles praticaram, devemos entender Mat. 28:19 do jeito que eles entenderam.

    Em Lucas 24: 46 e 47 Jesus lhes declara que o arrependimento e a remissão dos pecados deveriam ser apregoados em nome do Cristo, e que este entendimento já estava enunciado nas escrituras ( do antigo testamento) isso é de fundamental importância para entendermos o processo.

    A Bíblia nos diz que Deus visitou os gentios para CONSTITUIR dentre eles um povo para seu NOME.

    Atos
    15.14 expôs Simão como Deus, primeiramente, visitou os gentios, a fim de constituir dentre eles um povo para o seu nome.

    ... Para o seu NOME, que nome será esse?
    A seguir será discorrido sobre O NOME DE DEUS.

    ResponderExcluir
  46. O NOME DE DEUS. Um tema de suma importância. ( já falei um pouco sobre este assunto aqui neste Blog)

    Um dos problemas que se incorre ao crer que Deus é composto de três pessoas distinta é perda do conhecimento do nome de Deus. Assim, nenhum trinitário consegue entender ou explicar satisfatoriamente porque nenhum apóstolo repetiu as palavras ‘ Pai, Filho e Espírito Santo’ nos batismos em Atos.

    Qual é o nome do nosso Deus?

    Em João 17.11 Jesus disse: ... Pai santo, guarda-os em teu nome que me deste. (ARA)
    ...Pai santo, guarda-os em teu nome que me deste.(BJ)
    ...Pai santo, pelo poder do teu nome, o nome que me deste, (NTLH)
    ...Protege-os em teu nome, o nome que me deste.(N.V.I)
    Notemos que na N V I e na NTLH ( similarmente) diz: ...protege-os em TEU NOME, O NOME QUE ME DESTE.

    No entanto, a versão AC apresenta este versículo, no nosso entender, de forma equivocada, ao dizer...
    ... Pai Santo, guarda em teu nome aqueles que me deste.

    A seguir veremos a posição oficial da Sociedade Bíblica do Brasil sobre a diferença neste versículo entre as versões.

    ResponderExcluir
  47. Disse o Dr Vilson Scholz consultor de traduções da SBB.

    Caro Raimundo,

    Na verdade, não se trata de decidir qual seria a melhor tradução, mas qual seria o melhor texto. Refiro-me ao texto grego. E explico. Acontece que, no processo de cópia e transmissão do texto grego, nos primeiros mil anos de expansão da fé cristã, esse texto de João 17 foi sendo alterado e hoje não temos certeza absoluta (embora tenhamos uma preferência) quanto a que forma seria a original. Temos uma ciência bíblica que trata disto, chamada “crítica textual”. Ela estuda as variantes textuais, ou seja, as diferenças de texto que aparecem nos manuscritos gregos, em vários pontos do Novo Testamento. O recém lançado livro, Variantes Textuais do Novo Testamento Grego, pela SBB, aborda essas questões. Neste livro, sobre João 17.11, o comentário inicia assim: “A leitura que aparece como texto é a que melhor explica a origem das demais leituras, além de ter a seu favor o peso dos manuscritos”. E “a leitura que aparece como texto” é a que está traduzida em Almeida RA e na NTLH.

    Se entrarmos nos detalhes, veremos que, de fato, os bons manuscritos antigos trazem o texto grego que foi reproduzido em Almeida RA e NTLH. Interessante é que inclusive o texto majoritário (que é uma maneira de dizer “a grande maioria dos manuscritos”) traz a forma que aparece em RA e NTLH. Como explicar, então, o texto em Almeida RC? Esta traz o texto que foi impresso, inicialmente, por Erasmo, em 1512, e que veio a ser conhecido como “textus receptus”. É uma edição baseada em um número limitado de manuscritos, mas que teve muita influência, especialmente por ter sido o primeiro texto impresso (no sistema desenvolvido por Gutenberg). O “textus receptus” ou texto recebido foi a base textual grega para a tradução de Lutero, a tradução King James (de 1611), que também exerceram grande influência. Ah, o texto que aparece em Almeida RC já era, também, o texto da Vulgata (lá do ano 400), e esta foi outra tradução muito influente.

    No grego, a diferença está num pronome relativo: o qual (ho) ou os quais (hous). Interessante é que as duas formas de texto fazem sentido e são, certamente, verdadeiras, no contexto mais amplo de João. Mas a forma textual “teu nome, que me deste” soa um tanto estranha. A forma “em teu nome aqueles que me deste” parece fazer mais sentido. Pois este deve ter sido o raciocínio, também, dos copistas antigos, levando-os a mudar o texto. É o que queremos dizer com “a leitura que aparece como texto é a que melhor explica a origem das demais leituras”. Em outras palavras, o texto “teu nome, que me deste” soava estranho e por isso deu origem a uma forma alternativa: “em teu nome, aqueles que me deste”.

    As traduções modernas são quase que unânimes em sua preferência pelo texto que foi traduzido em Almeida RA e NTLH. Inclusive a Nova Vulgata (a mais recente edição da Vulgata latina) ajustou a texto ao que temos em nosso Novo Testamento Grego.

    Portanto, neste caso a diferença entre as traduções não se deve a diferenças entre princípios de tradução ou algo semelhante, mas entre diferenças nas edições do texto grego.
    Espero que isto ajude.
    Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  48. Sendo assim, a opinião do perito Dr. Vilson Scholz é de que o melhor texto é o que aparece nas traduções ARA e NTLH. Ou seja:
    “....Pai Santo, guarda os em TEU NOME, o NOME que me deste.”

    O que podemos concluir de forma coerente:
    Que o nome do Pai foi dado ao Filho. Ou seja, Jesus tem o nome do Pai, em Jesus encontra-se o nome do Pai.

    E isso é muito fácil de entender vejamos.
    Quem vê o Filho vê também o Pai S. João 14:9. Pois o Filho tem a imagem do Pai, HEb. 1:3, ele ( Jesus ) é a imagem do Deus invisível conforme Col 1.15.

    O Pai está no Filho... a imagem do Pai está no Filho...o NOME do Pai está no Filho.

    Quando Filipe pediu para Jesus lhes mostrar o Pai...Jesus lhe respondeu, “ quem me vê a mim vê também o Pai”. E se Filipe perguntasse qual era o nome do Pai? Não é difícil imaginar a resposta de Jesus, que muito provável seria...” quem conhece o meu nome conhece o nome de meu Pai”.

    ResponderExcluir
  49. Vejamos mais algumas coisas em um livro presbiteriano ( já postado por mim aqui no Blog)

    O livro: O Apóstolo dos Pés Sangrentos
    A história do homem que se parecia com Jesus.

    Por Boanerges Ribeiro.
    Editoras; CASA EDITORA PRESBITERIANA e CPAD

    Este livro é a biografia de um indiano, de família nobre, da seita Sik, que sofreu perseguições, prisões e privações por ter-se convertido ao Evangelho. Uma história muito bonita.

    O que mais chama atenção neste livro, publicado por igrejas trinitárias, é uma visão de Sadhu Sundar Singh referente à Divindade, mostrando a doutrina da Trindade de uma forma diferente, muito próximo do que estou falando.


    "Houve um tempo que a doutrina da Trindade me deixava confuso. Pensava em três pessoas assentadas em três tronos. Mas tudo se esclareceu numa visão... Ali vi Cristo com seu glorioso corpo espiritual, assentado no trono. Onde quer que fosse, sempre O via. Cristo estava sempre no centro - figura que palavras não descrevem. Rosto brilhante como o sol, mas não ofuscante e amigo que com facilidade eu O contemplava. Sorria sempre com sorriso de afeto glorioso. Quando O vi pela primeira vez, tive a impressão que entre nós existia uma antiga união; era como se Ele dissesse sem palavras: "Fui eu quem te criou." Senti com maior intensidade o que me sobreveio quando contemplei meu pai, após vários anos de separação. O velho afeto voltou; senti que fora dele anteriormente. Quando pela primeira vez entrei no céu olhei em torno e perguntei: mas onde está Deus? E alguém respondeu: como na terra aqui também Deus não é visto, porque é infinito. Mas aqui está Cristo, e Cristo é Deus; é a imagem do Deus invisível e somente n'Ele podemos ver Deus, tanto no céu como na terra".

    Além de muito bela, esta visão possui bases bíblicas:

    "Assentado no trono"- Apoc 4:2; I Reis 22: 19, Ez. 1:26 e 10:1
    "Brilhante como o sol." Apoc. 1: 14-16
    "Fui eu quem te criou" Apoc. 4:11; S. João 1:3
    "Aqui também Deus não é visto" - I Tim. 6:16 ; Col. 1:15 e I Tim. 1:17
    "Porque é infinito" - Jer. 23:24; Salmo 147:5
    "Cristo é Deus" - II Pedro 1: ll; S. João 20:28; Apoc. 21:7 e I João 5: 20
    "É a imagem do Deus invisível" - Col. l:15; II Cor. 4: 4 - 6.

    "Somente nele podemos ver Deus" - João 14:9 Somente em Cristo você pode ver Deus, o Pai.

    Em Cristo encontra-se o nome do Pai.

    ResponderExcluir
  50. As imagens da Trindade ( um equívoco )

    Assim como Sadhu Sundar Singh anteriormente tinha uma idéia equivocada sobre Deus, pensando em 3 pessoas distintas, ou seja, um Deus com 3 imagens. Ele não conseguia ver a imagem do Pai no Filho somente depois conseguiu).

    Muitos irmãos trinitários também incorrem neste mesmo erro, ou seja eles imaginam que que a imagem do Pai é de um homem velho, a do Filho é de um homem mais novo e a imagem do E. Santo é de uma pompa.
    Ver o link http://www.mgr.org/trinPort1.html

    Isso é um equívoco... como já aprendemos nós temos que ver a imagem do Pai no Filho.
    Da mesma forma temos reconhecer o nome do Pai no Filho.

    ResponderExcluir
  51. CONHECENDO O NOME DO SENHOR ( também já postado aqui no Blog)

    O Dicionário da Bíblia de Almeida, 2º edição SBB diz:
    Senhor ...heb. ADON greg. KYRIOS . Título de Deus como dono de tudo o que existe...No NT “Senhor” é usado tanto para Deus o Pai como para Deus o Filho, sendo as vezes impossível afirmar de qual dos dois está falando.

    O mesmo dicionário diz mais: ...Seguindo o costume que começou com a Septuaginta , a grande maioria das traduções modernas usa “ Senhor” como equivalente de YHVH ( Javé)...a forma Javé é a mais aceita entre os eruditos.

    Uma nota de rodapé na Bíblia de Estudo Almeida, página 292, diz:
    “Senhor: Termo que, além de aplicar aos seres humanos que tem autoridade , traduz o nome Javé do AT e foi aplicado a Jesus pela igreja primitiva na sua profissão de fé: Jesus Cristo é o Senhor”

    Verificaremos também o significado do nome Jesus.
    Ainda segundo o Dicionário da Bíblia de Almeida, Jesus significa: Javé é Salvador.
    Assim sendo temos o nome mais Sublime que existe: Senhor ( Javé) Jesus ( Javé é Salvador) Cristo ( ungido). Este é o nome acima de todo nome ( como diz a Bíblia), O nome do Nosso Deus.

    ResponderExcluir
  52. Entendido isto fica muito mais facil entender o porque dos apóstolos batizaram somente em nome do Senhor Jesus Cristo.

    Repetindo, ao filho foi dado o nome do Pai. “...Pai santo,guarda-os em teu nome, que me deste” Jo 17:11. ARA “ ...teu nome, o nome que me destes” 17:11 NVI.

    Os apóstolos ficaram bem guardados neste nome, inclusive sofreram muito por este nome, mas , “ a igreja” em desarmonia com os apóstolos logo iria substituir este sublime nome pelas palavras de Pai, Filho e E. Santo.
    E hoje iremos sofrermos pelo nome de Jesus Cristo ou pelo termo Trindade?

    ResponderExcluir
  53. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  54. Caro Raimundo, só estou dizendo aqui que tenho lido seus comentários (não todos de uma vez so, vc sabe da dificuldade que tenho com a internet...etc.).
    Olha, já está pronta mais 4 de páginas que se tornarão algumas postagens sobre o livro Sete Eras... eu havia decidido não comentar mais nada sobre a trindade, e apenas enfocar o que ele disse em matéria de 'apocalipse'... por enquanto, só posso dizer que não posso me concentrar em tudo o que vc está dizendo sobre a trindade agora.

    E se te agrada receber mensagens de pessoas que duvidam do texto bíblico (não me importa que teólogo liberal, filho do capeta tenha dito,...>>"os primeiros mil anos de expansão da fé cristã, esse texto de João 17 foi sendo alterado e hoje não temos certeza absoluta (embora tenhamos uma preferência) quanto a que forma seria a original."<< mas parece que quando está meio próximo do pensamento de Branham , fica mais agradavel, não é mesmo...?)
    Branham mesmo demontra isso no Sete Eras. As citações históricas dele são selecionadas...

    No assunto em mira, até agora só ficou claro uma coisa por sua parte e por parte dos trinitários:

    1) Ou se rejeita Mt 28.19
    2) ou se alegoriza Mt 28.19
    3) ou simplifica em caráter 'estético' o batismo em nome de Jesus em Atos.

    (4) ou aceita-se a posição que defendi.)

    Nenhum tem a posição equilibrada encarar os fatos como o são.
    A postagem acima, creio, jamais desrespeitou a prova de Atos, nem alegorizou Mateus 28.19, nem rejeitou a história que afirma os dois lados...

    Abraços e muito grato por deixar seu ponto de vista aqui.
    Deus nos ajude

    ResponderExcluir
  55. PRGUNTAS RELACIONADAS AO TEMA BATISMO.

    Luciano, par eu poder entender de forma definitiva seu ponto de vista ( sua tese ) ou sua presente compreensão sobre este assunto eu preciso lhe fazer algumas perguntas. Preciso que o amigo seja extremamente sincero e responda com a melhor de sua compreensão. Preciso que o amigo me responda estas perguntas mesmo que você as julgue infantis ou capciosa. Repito, suas respostas serão de suma importância para eu poder compreender seu ponto de vista.

    1º ) Jesus ordenou que seus apóstolos batizassem as nações em nome de três pessoas distintas? ( Sim ou não )

    2º ) Se for “ sim “ a resposta... os apóstolos obedeceram 100% esta ordem? ( sim ou não )

    3º) Se a resposta da segunda pergunta for “ não” , quais foram os motivos para a parcial desobediência da ordem? Explique.
    Obs. Se a resposta for “ vide a postagem acima “ ou “ já respondi na postagem “ solicito que leves em conta minha refutação sobre este caso em específico e elabore uma réplica resumida .

    4º) Levando em conta que Paulo batizou em nome de Jesus e ( disse que há uma só fé e um só batismo ) e também levando em conta que o evangelho de Paulo foi uma revelação direta do próprio Jesus Cristo ( Gal 1:11,12 ), não deveria ele batizar em nome das três pessoas distintas conforme a ordem de Mat 28:19 ? Explique.

    5º) Sendo que os próprios apóstolos que ouviram diretamente do mestre a ordem de batizar ‘ em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo’ entenderam que o batismo deveria ser realizado em nome do Senhor Jesus ( e os apóstolos tinha o entendimento aberto para compreender as escrituras conforme Lc 24:45 ), não deveriam aquelas pessoas ( a igreja) que leram o evangelho de S Mateus ( nos anos 60-70) entender da mesma forma que os apóstolos entenderam, e continuarem com a mesma prática de batismo dos apóstolos, uma vez que leram as mesmas palavras que os apóstolos ouviram no 33? Explique.

    ResponderExcluir
  56. Rapaz, vc escreve mais que puritano!!!!

    Raimundo, me permita responder em uma postagem futura... mas já digo que é ''bem capciosa'' kkk...
    abraços

    ResponderExcluir
  57. Conclusões do amigo Luciano:
    “No assunto em mira, até agora só ficou claro uma coisa por sua parte e por parte dos trinitários:

    1) Ou se rejeita Mt 28.19
    2) ou se alegoriza Mt 28.19
    3) ou simplifica em caráter 'estético' o batismo em nome de Jesus em Atos.”

    Luciano, por gentileza me responde mais uma pergunta.
    Mediante estas suas conclusões...os apóstolos “ reijeitaram” ou “alegorizaram” Mat 28: 19, tendo em vista que nenhum deles repetiram as palavras ‘ Pai, Filho e Espírito Santo ‘ em suas práticas batismais em Atos ?

    ResponderExcluir
  58. Eles fizeram o que eu relatei. A 'minha' proposta é a única que não precisa desses três extremos.

    As diferenças Raimundo, são as mesmas das discrepâncias nos sinopticos...

    Segunda estarei postando algo sobre o Sete Eras, ok?

    Abraços

    ResponderExcluir
  59. “As diferenças Raimundo, são as mesmas das discrepâncias nos sinopticos...”
    Luciano, vamos sermos bem diretos.
    Jesus mandou ou não mandou os apóstolos batizarem em nome das “ 3 pessoas distintas”?

    ResponderExcluir
  60. Raimundo, já pensou se eu fizer esse tipo de pergunta levando em conta as 'discrepâncias' nos sinopticos?

    ResponderExcluir
  61. Luciano, você vai ou não vai responder minha pergunta?

    ResponderExcluir
  62. Eu ainda posso esperar suas respostas sobre aquelas perguntas que fiz?
    Afinal você disse : ... “Raimundo, me permita responder em uma postagem futura”

    ResponderExcluir
  63. Pessoal, estou postando em todo artigo que houve comentários, então...
    http://mcapologetico.blogspot.com/2012/03/como-fazer-um-bom-debate.html

    São as novas regras de debate do MCA para melhorar as discussões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O debate sobre o assunto Trindade será concluído aqui:
      http://mcapologetico.blogspot.com.br/2012/03/pentecostalismo-unicista.html

      Excluir
  64. A Bíblia é bem clara: Acho que é porque muitos preferem ficar com religiões do que com a Bíblia.

    Colossenses 3:17 E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.

    Efésios 4:5 há um só Senhor, uma só fé, um só batismo;

    Atos 2.38 Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.

    Atos 10.48 E ordenou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Então, lhe pediram que permanecesse com eles por alguns dias.

    Atos 8:16 porquanto não havia ainda descido sobre nenhum deles, mas somente haviam sido batizados em o nome do Senhor Jesus.

    Atos 19:5 Eles, tendo ouvido isto, foram batizados em o nome do Senhor Jesus.

    Romanos 6:3 Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte?

    Tiago 2.7 Não são eles os que blasfemam o bom nome que sobre vós foi invocado?

    Atos 22:16 E agora, por que te demoras? Levanta-te, recebe o batismo e lava os teus pecados, invocando o nome dele.

    1 Coríntios 1:13 Acaso, Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vós ou fostes, porventura, batizados em nome de Paulo?

    1 Coríntios 1.15 para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome.

    Mateus 28:19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

    Obs: Pai, filho e espírito santo não são nomes, mas sim manifestações de Deus.

    Mateus 1:23 Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco).

    Isaías 9:6 Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz;

    João 1:18 Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou.

    João 14:9 Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?

    João 1:1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
    João 1:14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.

    Segue link para um estudo completo. https://docs.google.com/file/d/0B33Sai9yLn9Xd3YzMm9EUjRYOG8/edit

    Forte abraço a todos!

    Cássio Bastos
    http://www.preparandocaminho.com.br/
    ------------------------------------------

    ResponderExcluir
  65. É tão claro. Só esse versículo já diz tudo: Colossenses 3:17 E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.

    Tente expulsar um demônio em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo pra ver se ele sai. Só sai se for em nome de Jesus! Tudo devemos fazer em nome de Jesus e com O Batismo não pode ser diferente.

    Atos 4:12 E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.

    Para quem ainda tem dúvida que o Batismo correto é por imersão(mergulho) segue mais versículos que comprovam que devemos ser sepultados no batismo(mergulho, imersão). Além claro do próprio significado da palavra Batismo vir do grego baptizõ, que significa (mergulhar, imergir).

    Atos 8:38 Então, mandou parar o carro, ambos desceram à água, e Filipe batizou o eunuco.
    Atos 8:39 Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, não o vendo mais o eunuco; e este foi seguindo o seu caminho, cheio de júbilo.

    Além do mais o Batismo representa um sepultamento do velho homem. (Obs: Nunca vi ninguém ser sepultado com um pouquinho de terra na cabeça).

    Romanos 6:3 Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte?
    Romanos 6:4 Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.
    Romanos 6.5 Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição,

    Colossenses 2:12 tendo sido sepultados, juntamente com ele, no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos.

    O próprio Jesus disse que os fariseus transgrediam os mandamentos por causa das tradições deles(Mateus 15:1-3). Hoje muitas Igrejas não aceitam mudar o que está errado (como no Batismo), porque já vem fazendo errado a muitos anos, aí perderiam a credibilidade se mudassem, ou seja, a tal da tradição.

    ResponderExcluir
  66. so existe um salvador, o batismo ordenado por Cristo, foi em nome do pai, do filho e do espirito santo. nada foi transgredido por cristo, nem anulado por ele, nem os batismos feitos antes dele aqui chegar, a partir dele fomos batizados em cristo e recebendo juntamente o batismo do espirito santo, um batismo nao anula o outra, o que destroi e a perda de tempo discutindo formulas batismais, e vidas ai fora sendo ceifadas por satanas, peça discernimento a Deus, pois Cristo veio pra salvar e não causar divisoes, orem e peçam a Deus para que sejam revelados pelo espirito santo a respeito da verdade, as duas maneiras estao corretas, pois se assim não fosse, Cristo não se faria presente em todas religióes que o prefessam como unico salvador, acordem para isto, fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  67. Ninguém tem o direito de argumentar a bíblia se convertam a bíblia e faça como os apóstolos fizeram ai está resolvido, ninguém foi batizado a não ser no nome de Jesus Cristo, proto assunto encerrado não precisa argumentar é só crer.

    ResponderExcluir
  68. 'Luz do entardecer',

    batizaram em nome de Jesus Cristo, em nome so Senhor Jesus Cristo, em nome de Jesus?

    Verdade, temos o registro de Atos e pronto! Mas não temo a ordem de Mt 28?

    ResponderExcluir
  69. Tudo fazei em meu nome !!!

    Em nome de Jesus não é fórmula...Mateus 28 está a formula.

    Antes de iniciarmos qualquer sacramento ou serviço espiritual de vemos invocar o nome do Senhor Jesus...ou Jesus Cristo...ou simplesmente em nome de Jesus:

    -SERVIÇO DE CULTO
    está aberto esse santo serviço de culto e louvores à Deus "EM NOME DE JESUS"

    -SANTA CEIA
    está aberto esse santo serviço de Santa Ceia "EM NOME DE JESUS"

    -ORAÇÃO COLETIVA
    Ex. vamos buscar a Deus na oração "EM NOME DE JESUS" e encerra-se "EM NOME DE JESUS"

    -ORAÇÃO INDIVIDUAL
    ex. abre-se a oração "EM NOME DE JESUS" e encerra-se "EM NOME DE JESUS"

    -BATISMO
    com as mãos sobre a cabeça do batizando, abre-se o batismo "EM NOME DE JESUS" e selamos com a fórmula de Mateus 28:19






    ResponderExcluir
  70. Onde na bíblia um pessoa foi batizada usando as palavras Pai, Filho e Espírito Santo? Se alguém foi mim mostre na escritura onde foi? Aí sim eu crerem, caso não prove então não pode ter credibilidade, pois haverá interpretação humana.

    ResponderExcluir
  71. Luz do entardecer, agradeço a visita.

    Não existe. Como outras coisas que ele ordenou, não existe registros. Por exemplo, a oração do Pai-Nosso...

    Você leu a postagem?

    ResponderExcluir
  72. A oração do pai nosso é um modelo, o batismo é uma ordenação do Senhor Jesus, cumprida em atos 2:38 e em demais escrituras, vcs falam tanto de escrituras isoladas e caem nesta, tantas escrituras q fala do batismo no nome de Jesus Cristo e vem vcs com um versículo isolado e criam uma doutrina, e um versículo interpretado de forma fora do contexto pois Jesus pediu o nome e não títulos, pois Pai, Filho não são nomes e sim títulos, pois ninguém se assina como pai ou filho, como disse versículo sem o verdadeiro contexto

    ResponderExcluir
  73. 1. 'Deveis orar assim'...

    2. Leu a postagem?

    3. Isaías 9.6 diz que nome é o que?

    abraços

    ResponderExcluir
  74. Já li o Didaquê, e penso que nem mesmo os trinitarianos creem nele. Vou dar alguns exemplos: o Didaqué diz que ‘Não odiarás ninguém, mas repreenderás uns e rezarás por outros, e ainda amarás aos outros mais que a ti mesmo (que tua alma).’ (Capítulo 02:7). Onde alguma vez na Escritura está escrito que se deve amar o próximo mais que a nós mesmos? Ela diz: "amarás o teu próximo como a ti mesmo’ e não ‘mais que a ti mesmo’; O Didaqué diz a propósito do batismo: ‘No que diz respeito ao batismo, batizai em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo em água corrente. Se não tens água corrente, batiza em outra água; se não puderes em água fria, faze-o em água quente. Na falta de uma e outra, derrama três vezes água sobre a cabeça (batismo por aspersão???) em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Mas, antes do batismo, o que batiza e o que é batizado, e se outros puderem, observem um jejum; ao que é batizado, deverás impor um jejum de um ou dois dias’ (Capítulo 7:1-4). O batismo deve ser administrado por imersão e não por aspersão como afirma o Didaque. E depois, as Escrituras de modo nenhum ensina que quem se deve fazer batizar e quem o deve batizar devem jejuar antes do batismo. O eunuco e Filipe não jejuaram, mas Filipe o batizou logo. Paulo e o carcereiro de Filipos não jejuaram, mas Paulo o batizou logo. A mesma coisa diga-se para Cornélio e os da sua casa e aqueles que os batizaram por ordem de Pedro. Tem mais pérolas do Didaquê, mas vou citar só mais uma para encerrar: "Todo o apóstolo que vem a vós seja recebido como o Senhor. Mas ele não deverá ficar mais que um dia, ou, se necessário, mais outro. Se ele, porém, permanecer três dias é um falso profeta.’ (Capítulo 11:4). Sendo assim, com base no que diz a Didaquê, teríamos que dizer que Paulo era um falso profeta porque a Escritura diz que ele demorou na casa do evangelista Filipe por muitos dias (Atos 21:10) e esteve na casa de Pedro por quinze dias (Gal. 1:18). Irmão, vê só como são FALSAS as declarações do Didaquê?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, vc pode negar a sua validade, mas a informação é fato.Eles batizavam em noma da trindade, conforme Mt 28.19.

      Excluir
  75. Irmão, não sou eu quem está invalidando as palavras do Didaquê, mas a própria Bíblia. Você concorda com todas afirmações do Didaquê? Eu concordo com as afirmações da Bíblia Sagrada. Muitos teólogos concordam que a igreja primitiva batizava em Nome de Jesus Cristo:


    ENCICLOPEDIA BRITÂNICA, 11a Edição, Vol. 3 Pg 365-366, "A fórmula batismal foi mudada do nome de Jesus Cristo para as palavras Pai, Filho e Espírito Santo pela Igreja Católica no 2º Século. " Volume 3 pág. 82 "Sempre nas fontes antigas menciona que o batismo era em Nome de Jesus Cristo."

    ENCICLOPEDIA DA RELIGIÃO - CANNEY, pg 53 -- "A religião primitiva sempre batizava em Nome do Senhor Jesus até o desenvolvimento de doutrina da trindade no 2° Século."

    ENCICLOPÉDIA CATÓLICA DE 1913, Vol. 2, pg 365, “Aqui o Católico reconhece que o batismo foi mudado pela Igreja Católica”.

    ENCICLOPÉDIA DA RELIGIÃO - HASTINGS, Vol. 2 pg 377-378-389. "O batismo cristão era administrado usando o nome de Jesus. O uso da fórmula trinitariana de nenhuma forma foi sugerida pela história da igreja primitiva; o batismo foi sempre em NOME do Senhor Jesus até o tempo do mártir Justino quando a fórmula da trindade foi usada”. Na página Hastings comentando Atos 3:28, diz: "NOME é o antigo sinónimo de pessoa. Pagamento foi sempre feito em nome de alguma pessoa, referindo-se a propriedade. Portanto alguém batizado em nome de Jesus torna-se sua propriedade pessoal”.

    NOVA ENCICLOPÉDIA INTERNACIONAL, Vol. 22 pg 477, "O termo ‘trindade’ se originou com Tertuliano, padre da Igreja Católica Romana”.

    ENCICLOPÉDIA DE RELIGIÃO E ÉTICA, James Hastings, pg.384. "Não existe evidência [na história da igreja primitiva] do uso dos três nomes."Rev. Steve Winter ATOS 4:12 "E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos."

    ENCICLOPÉDIA BARSA, 1998, vol. 15, pág. 214. – A palavra trindade não aparece no novo testamento, nem Jesus e seus seguidores pensaram em contradizer o velho testamento que diz: Ouve, Israel, o senhor nosso Deus é o único Senhor (Dt 6: 4).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uai, não é na Bíblia que vc acredita, ou nas enciclopédias?
      O Didaqué, meu amigo, derruba todas essas citações. É um documento histórico da época.

      Excluir
  76. Nós cremos no Pai, no Filho e no Espírito Santo, mas não como sendo três seres distintos, pois seriam três deuses (puro paganismo), mas como três atributos do Único Deus verdadeiro que é o SENHOR JESUS CRISTO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eudizamor, ok.

      Pai - Filho e Espírito , são atributos?

      Excluir
  77. Eu acredito unicamente na Bíblia como única regra de fé. O irmão bem sabe que o que citei são registros históricos que combinam com aquilo que está escrito na Santa Palavra de Deus. O Didaquê não combina com a Bíblia, visto que citei várias coisas escritas nele que não passam de heresias que você também não deve acreditar (ou acredita?). Se existe um povo que de fato é batizado em Nome do Pai, Filho e Espírito Santo é o povo que crê na Unidade de Deus. Somos batizados em Nome do Pai, Filho e Espírito Santo que é Jesus Cristo. Se as diversas passagens na Bíblia que relatam o batismo em Nome de Jesus não mostram a veracidade dos fatos, nada mais poderá fazê-lo, pois assim mostram incredulidade para com as Escrituras. Quando li você citar as supostas divergências como "batizados em Nome de Jesus Cristo", "batizados em Nome do Senhor Jesus" e "batizados em Nome do Senhor", onde você pediu para que fosse escolhida a fórmula. Com toda sinceridade, foi uma argumentação fraca, afinal de contas, o Senhor Jesus não é o mesmo Jesus Cristo? Você expulsa demônios em Nome de Jesus Cristo ou em Nome do Senhor Jesus? Não são o mesmo Senhor Jesus Cristo? Por que então dizer que existe divergência? Por que não existe um relato sequer na Bíblia de alguém sendo batizado em Nome do Pai, Filho e Espírito Santo? Os católicos são mais sinceros que os protestantes, pois eles reconhecem que alteraram a fórmula batismal do Nome para os títulos de Deus. Quando li na Bíblia que meu batismo (fui asembleiano por muitos anos) não combinava com o batismo apostólico, pedi logo meu batismo de acordo com aquilo que os Apóstolos praticaram. Quando digo que Pai, Filho e Espírito Santo são atributos, é porque o fiz com base no signicado da palavra (você acredita no dicionário, né?). A palavra atributo quer dizer característica. E característica significa definição de algo ou alguém. Portanto Pai, Filho e Espírito Santo são definições da pessoa (única) de Deus, que é o Senhor Jesus. Deus o abençoe em Cristo Jesus, nosso Senhor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimado Eudizamor.
      Permita-me, comunicar-te que o Pai e o Filho são pessoas distintas.

      1- Jesus e Pai em diálogo antes da encarnação

      Salmos 110:1 ¶ Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.

      Mc 12:36 O próprio Davi falou, pelo Espírito Santo: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés.

      2-e a bíblia diz que o Pai e Jesus são pessoas distintas:
      JO 6:17 Também na vossa lei está escrito que o testemunho de duas pessoas é verdadeiro.

      18 Eu [Jesus] testifico de mim mesmo, e o Pai, que me enviou, também testifica de mim.
      Jesus sendo Deus e Homem é uma pessoa e o Pai é apenas Deus, logo 2 pessoas!!

      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
  78. Estimados comentaristas
    Esta escrito que Deus revela Seus segredos aos humildes de coração. Os que se acham sábios e entendidos, " retornam para suas casas" sem ser justificados , diante do Altíssimo.
    A Palavra é simples e objetiva sobre a fórmula do batismo cristão, a seguir postamos comentário, para análise e meditação com a iluminação do Santo Autor das Escrituras , o Espirito Santo.

    Com relação a formula batismal em Nome da Trindade e em nome do Senhor Jesus, passo a comentar:
    A menção do batismo em nome de Jesus (Atos 2.38; 8.16; 10.48 e 19.5) encontra-se em passagens que não tratam da fórmula batismal, e, sim, de atos ou eventos feitos em nome de Jesus, pois tudo o que é feito em nossas vidas é em nome de Jesus. Veja o que diz o apóstolo Paulo em Colossenses 3.17: “E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai”. O cristão quando se reúne, se reúne em nome de Jesus; Quando louva a Deus com cânticos, louva em nome de Jesus; Quando apresentamos uma criança, apresentamos em nome de Jesus;… e quando realizamos um batismo, realizamos em nome de Jesus, mas de acordo com a fórmula dada por Cristo: “Em nome do Pai, Filho e Espírito Santo” (Mt 28.19). Os textos do livro de Atos só nos mostram essa realidade e não uma fórmula batismal, veja: Atos 2.38 – “Em nome de Jesus Cristo”; Atos 8.16 – “em nome do Senhor Jesus”. Se essas passagens revelassem a fórmula batismal, seriam iguais, pois qualquer fórmula é padronizada. O que a Palavra está dizendo é que as pessoas eram batizadas na autoridade do nome do Senhor Jesus, mesmo porque não é possível que Pedro, pouco tempo depois da ordem de Jesus, em Mateus 28:19, agisse de modo tão diferente, alterando a fórmula batismal
    Deus nos guie a toda verdade.
    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
  79. ou melhor tres deuses..........esse argumento é pobre e fraco o fato de Jesus orar nao indica duas pessoas ou uM Deus ora para outro Deus?me poupe era a natureza humana de Jesus orando a natureza divina Jesus é o pai(isaias9.6)ou tem dois Pais????eternos???a crença na doutrina do inimigo tem feito de voces idolatras e politeista o verdadeiro Deus é Jesus(1joao5.20)o unico(judas1.4).

    ResponderExcluir
  80. Estimado Edimilson.
    Você não contestou o texto, apenas esta discordando, pelo fato de não condizer com teu ponto de vista. Os textos que colocamos acima estão dentro do contexto e são bem claros.conteste nossos argumento.
    Estamos de acordo com você que o Senhor Jesus é o Verdadeiro Deus.O Pai é o Verdadeiro Deus e o Espirito Santo é o Verdadeiro Deus. Porisso cremos no Deus Triúno.
    No Batismo de Jesus vemos as três pessoas distintas se manifestando de forma clara e objetiva. Postarei para o amado do Senhor um estudo sobre o Deus Triúno para que tu possas analisar, estudar se assim desejares.
    Com respeito e consideração
    Em Cristo,
    Wilton

    ResponderExcluir
  81. Estimado Edimilson.
    Considerações sobre o Deus Triúno, conforme mencionado acima.


    A DOUTRINA DA TRINDADE
    Trindade: Doutrina bíblica que repousa essencialmente sobre duas premissas:
    1) O monoteísmo é uma verdade;
    2) A divindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo, também é uma verdade. Portanto, temos um único Deus, mas três pessoas.
    A Bíblia Sagrada diz explicitamente que existe um único Deus (Dt 6.4; Mc 12.29-32). O apóstolo João, conhecido como apóstolo do amor, diz no Evangelho escrito por ele: Ora a vida eterna é esta: que conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste (Jo 17.3). João registrou essas palavras do Senhor Jesus Cristo, deixando claro que existe um único Deus Verdadeiro, neste versículo a expressão Deus Verdadeiro está claramente associada à pessoa do Pai. Na declaração do Senhor Jesus o Pai é o único Deus Verdadeiro. Porém, o mesmo João que escreveu o Santo Evangelho que leva o seu nome, escreveu também na sua Primeira Epístola Universal no capítulo 5 e versículo 20: Também sabemos que o Filho já veio, e nos deu entendimento para conhecermos aquele que é verdadeiro. E estamos naquele que é verdadeiro, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna. Essas palavras afirmam categoricamente a divindade de Jesus: Ele é o Verdadeiro Deus e a vida eterna.
    Podemos observar que o mesmo João que escreveu no Quarto Evangelho, foi o autor da 1ª Epístola a que referimos. Assim sendo, ele atribui a palavra Deus Verdadeiro, tanto à pessoa do Pai, como à pessoa do Filho. Esses textos são provas explícitas de que o apóstolo João conhecia a Unidade Composta de Deus, ou seja, a unidade de essência de Deus como sendo único e verdadeiro, composto por pessoas, neste caso: Pai e Filho. Não estou dizendo que o Pai seja o Filho, de maneira alguma, mas que o Pai e o Filho são duas pessoas como o próprio João declara: Graça, misericórdia, e paz, da parte de Deus Pai e de Jesus Cristo, o Filho do Pai, serão conosco em verdade e amor (2 Jo 1.3).
    Se o Pai é chamado de Deus Verdadeiro (Jo 17.3) e o Filho é chamado de Deus Verdadeiro (1 Jo 5.20), e o Espírito Santo é chamado de Deus (Atos 5.34), e, em Isaías capítulo 43 versículo 10 e 11 lemos:
    Vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor, e o meu servo, a quem escolhi, para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá. Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há Salva¬dor; se existem três pessoas chamadas na Bíblia de Deus Verdadeiro e ela não admite outro deus ou Deus, senão o Deus único, ou admitimos a pluralidade na unidade ou somos obrigados a admitir um politeísmo barato, insuportável e grosseiro.

    Deus ilumine e esclareça sempre nossos corações.
    No Amor de Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
  82. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  83. com todo respeito no batismo de Jesus nao apareceu *tres pessoas*so havia uma pessoa ali Jesus a pomba nao era uma pessoa ou era?e nem a voz ate a jumenta falou e isso que ela nao era uma pessoa!a biblia é bem clara irmao e afirma que o mesmo Deus do antigo testamento é o MESMO do novo veja exodo3.14 e joao8.58 tem dois EU SOU?????tem dois primeiros e ultimos?hora irmao apologista a palavra nos ensina que o PROPRIO Deus JEOVA ou JAVE ou como queiram VIRIA ELE MESMO para SALVAR O POVO VEJAMOS Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há Salvador.
    Isaías 43:11 ora quem nos salvou???foi a segunda pessoa o proprio Senhor do antigo testamento!!!!!!!!e nosso irmao joao nos afirma que JESUS é o VERDADEIRO Deus ora se ele é o verdadeiro os outros sao falsos e termino aqui com essa em 1 corintios 8.6 afirma que para nos a UM SO DEUS o PAI se Jesus é Deus quem ele irmao apologista????Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  84. O irmão Wilton colocou algumas indagações, como se nós não crêssemos nas Escrituras. Vou abordar uma a uma:

    ResponderExcluir
  85. Salmo 110:1 diz: "Disse o Senhor ao meu Senhor: assenta ti à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés".


    Se interpetarmos os Salmos de maniera literal teremos muitos problemas. Será que Deus nos leva literalmente a pastos verdejantes? Será que somos como árvores plantadas junto a ribeiros? Ou será como somos como montes? Percebe-se fácilmente que os Salmos são de linguagens simbólicas (e proféticas). Essa passagem descreve a natureza dual de Cristo, que é Divino e Humano ao mesmo tempo. Vemos Deus (Senhor) falando profeticamente (e simbólica também, já que os Salmos são poesias cheias de metáforas) a manifestação humana de Cristo (Senhor). Se formos interpretar literalmente, teremos dois senhores, onde um senhor fala para o outro (cadê o senhor n° 3? Ficou de fora da conversa). Mas sabemos que a Bíblia inteira fala de um único Senhor, que é Jesus Cristo. Agora, a mão direita de Deus simboliza poder e autoridade. Fazer dos inimigos estrado para os pés significa derrota-los completamente. Nos tempos antigos, o vitorioso, muitas vezes, fazia isso literalmente, pisando sobre a cabeça o pescoço de seus inimigos (Josué 10:24). Portanto, a profecia de Salmos 110 é a seguinte: o Espírito de Deus dará poder e autoridade ao Homem Jesus (o Filho), até que tenha conquistado completamente os inimigos. Deus usará sua manifestação como homem para vencer o diabo, cumprindo assim Gênesis 3:15 onde Deus afirmou que a semente da mulher esmagaria a cabeça da serpente.

    ResponderExcluir
  86. 2) Dois Testemunhos

    Jesus disse: "Não sou eu só, porém eu e aquele que me enviou. Também na vossa lei está escrito que o testemunho de duas pessoas é verdadeiro. Eu testifico de mim mesmo, e o Pai, que me enviou, também testifica de mim" (João 8:16-18). Pouco antes Jesus havia dito: "Eu sou a luz do mundo" (versículo 12). Esta era uma afirmação de seu papel messiânico (Isaías 9:2; 49:6). Os fariseus replicaram: "Tu dás testemunho de ti mesmo, logo teu testemunho não é verdadeiro" (João 8:13). Em resposta Jesus explicou que Ele não era o único a testemunhar, mas que dois davam testemunho do fato de que Ele era o Cristo. As duas testemunhas eram o Pai (A Divindade que é Espírito) e o Filho (que é o homem Jesus). Em outras palavras, tanto Deus como o Homem Jesus podiam testificar que Ele era o Cristo. O Senhor Jesus era ambos, Deus e Homem. Não há separação de pessoas, e sim de naturezas (Divina e Humana). Aliás, se alguém entende que as duas testemunhas eram pessoas separadas em uma trindade, ela precisa explicar porque Jesus não disse que havia três testemunhas. Afinal de contas, a lei requeria duas testemunhas, mas pedia três, se possível (Deuteronômio.17:6; 19:15). Ou não era possível haver a terceira testemunha? Quando Jesus se referiu a seu Pai, os fariseus questionaram Jesus a respeito do Pai, sem dúvida se perguntando quando teria o Pai testemunhado diante deles. Em vez de dizer que o Pai era outra pessoa na divindade, Jesus identificou-se com o Pai dizendo ser o "Eu sou" (João 8:19-27). Resumindo: os dois testemunhos vinham da Deidade e do homem Jesus Cristo, e ambos testificavam que Jesus era o Messias.

    ResponderExcluir
  87. 3) batismo em nome de Jesus não era formula?

    Os batismos realizados em Nome de Jesus Cristo não eram uma fórmula? Cadê a fórmula? Mateus 28:19? Por que não existe um relato sequer na Palavra de alguém sendo batizado usando as palavras Pai, Filho e Espírito Santo? Postei acima várias enciclopédias contendo registros históricos porvando que o batismo era realizado em Nome do Senhor Jesus Cristo. A ordem de Jesus realmente é clara! Devemos ser batizados EM NOME (singular) do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Mas que Nome seria esse? Qual é Nome que está sobre todo nome? Qual é o Nome que pelo qual devemos ser salvos? Qual é o Nome que toda familia no céu e na terra é nomeado? Diante qual Nome todos os joelhos se dobrarão? Qual é o Nome que estremece o inferno? Por que tudo é feito em Nome de Jesus (Cl 03:17) e não em nome de trindade???A resposta é muito simples, porém rejeitada pelas pessoas. A Igreja Noiva recebe o Nome do Noivo e todos sabemos que esse precioso Nome é JESUS CRISTO. Não existe uma Escritura sequer de uma pessoa sendo batizada usando as palavras "Pai, Filho e Espírito Santo". Se não tem, então já era para suspeitar, né?

    ResponderExcluir
  88. O seguinte relato é um registro verdadeiro (fora as várias Enciclopédias de teólogos e historiadores citadas acima) de um batismo que teve lugar em Roma no ano l00 A.D., e foi publicado na revista "Time", em 5 de dezembro de 1955.


    "O diácono levantou sua mão, e Públius Decius entrou pela porta do batistério. Parado no batistério, com a água até a cintura, estava Marcus Vascas, o vendedor de madeira. Ele tinha um sorriso enquanto Públius chegava a seu lado no batistério. "Credis?" Lhe perguntou. "Credo", respondeu Públius. "Eu creio que minha salvação vem de Jesus Cristo, que foi crucificado sob Pôncio Pilatos. Com Ele tenho morrido para que com Ele possa ter Vida Eterna". Então ele sentiu os braços que lhe sustinham enquanto ele se deixava cair para trás no batistério, e ouviu a voz de Marcus em seu ouvido: "Eu te batizo no Nome do Senhor Jesus", enquanto a água fria se fechou sobre ele".

    ResponderExcluir
  89. 4) Você afirmou que o Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus, logo são três deuses, afinal de contas 1 + 1 + 1=3. E não venha com aquele cálculo ridículo (como muitos já fizeram) de que a trindade é calculada como 1 x 1 x 1 =1, pois a multiplicação não encaixa nessa lógica, pois a teoria da trindade multiplica uma pessoa DISTINTA com outra pessoa DISTINTA, e não por ela mesma. A multiplicação não poderia entrar dentro da trindade pois a trindade afirma Ser um Deus com 3 pessoas distintas, logo UMA pessoa +UMA pessoa +UMA pessoa não são iguais a Uma pessoa , e sim iguais a TRÊS pessoas.

    ResponderExcluir
  90. 5) A oração de Jesus em S. João 17:1


    Jesus disse em Sua oração (Ele orava como Homem): "A vida eterna é esta: que conheçam a ti só, por Único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste". Lembrando que Jesus Cristo é a Palavra (Verbo) encarnada, então fica claro que significa que Deus nos enviou Sua Palavra manifestada em Carne humana. Percebe que não temos que reconhecer ninguém mais? Não temos que reconhecer a existência do deus n°3, ou Jesus teria mencionado em um momento tão importante. Por que Jesus não citou que devemos conhecer a terceira pessoa da trindade? Por que o plano da salvação exclui a doutrina da trindade? Pois a salvação é somente no nome de Jesus Cristo. “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe NENHUM OUTRO NOME, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (Atos 04:12). Por que não está escrito "creia nas três pessoas e será salvo"? Mas está escrito: "crê no Senhor Jesus Cristo e será salvo tu e a tua casa" (Atos 16:01). Por que não é a Trindade que vem buscar a Igreja de Cristo? Quem vem buscar a Igreja é o nosso Deus e Salvador Jesus Cristo: “Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo” (Tito 2:13).

    ResponderExcluir
  91. No mais, fique na paz do único Deus verdadeiro: JESUS CRISTO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eudizamor, peço que seja breve quando me responder, para efeitos didáticos.

      O Espírito Santo é o Pai?

      Excluir
  92. Estimado Eudizamor.
    Utilizando a essência das palavras do irmão Luciano Sena em uma postagem anterior a um comentarista: "não irei responder de novo para não ficar em torno do toco".
    Nosso comentário acima contesta seus argumentos.
    Apenas algumas lembranças:
    1- Jesus e Pai em diálogo ANTES DA ENCARNAÇÃO:

    Salmos 110:1 ¶ Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.

    Mc 12:36 O próprio Davi falou, pelo Espírito Santo: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés.

    2-e a bíblia diz que o Pai e Jesus são pessoas distintas:
    JO 6:17 Também na vossa lei está escrito que o testemunho de duas pessoas é verdadeiro.

    18 Eu [Jesus] testifico de mim mesmo, e o Pai, que me enviou, também testifica de mim.
    Jesus sendo Deus e Homem é uma pessoa e o Pai é apenas Deus, logo 2 pessoas!!

    QUEREMOS DEIXAR BEM CLARO PARA TODOS QUE CREMOS, ADORAMOS UM DEUS VIVENTE INDIVISÍVEL, SIMPLES SER QUE EXISTE COMO TRÊS PESSOAS.

    UNIDADE COMPOSTA DE DEUS 2 JO.1.3

    Se o Pai é chamado de Deus Verdadeiro Jo.17.3 e O Filho é chamado de Deus Verdadeiro 1Jo.5.20 e O Espirito Santo é chamado de Deus At. 5.34 e em Is.43.10-11 Ele é Único, então:
    Existem Três Pessoas chamadas na Bíblia de Deus Verdadeiro e ela NÃO ADMITE outro Deus, senão O DEUS ÚNICO, ou admitimos a pluralidade na UNIDADE ou somos obrigados a admitir um politeísmo barato, insuportável e grosseiro.
    Mas como não é o caso, CREMOS NO DEUS TRIÚNO e perfeito: PAI FILHO E ESPIRITO SANTO.

    OBS: A pergunta do irmão Luciano esta em pauta:

    O ESPIRITO SANTO É O PAI ?

    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
  93. se ele é indivisivel como pode ser tres pessoas??????irmao isso nao é nem revelaçao mais matematica!tres deuses!voces sao politeistas e estao quabrando o mandamento ouve o israel o Senhor nosso Deus é o Unico Deus.nao varios deuses quando a pergunta se o Espirito Santo é o Pai sim claro Deus é Espirito agora que Espirito que é Deus?????ele é santo entao é claro que ele é o Espirito Santo a UM SO ESPIRITO nao dois!nem tres como andam dizendo por ai......

    ResponderExcluir
  94. Bem sei onde o irmão quer chegar, mas tudo bem, vamos lá. Sim, o Pai de Jesus é o Espírito Santo! E que Espírito é este? É Deus! Jesus disse em S. João 4:24 que Deus é Espírito. Portanto, os termos Pai e Espírito Santo descrevem o mesmo Ser. O Evangelho de S. Mateus 1:18 diz que Jesus (o Filho) foi concebido pelo Espírito Santo. Se o indivíduo não for filho de quem o concebeu, logo é um filho suspeito, não? Assim, fica que o Pai do corpo humano de Jesus é o Espírito e é lógico concluímos que o Espírito Santo é o Pai de Jesus Cristo. Crer em uma trindade implicaria que Jesus tenha tido dois pais: a terceira pessoa que o gerou e a primeira, a quem Ele chamava de Pai.

    ResponderExcluir
  95. Para uma análise mais completa da identificação do Espírito Santo com o Pai, considere as seguintes comparações da Bíblia:

    1- Deus Pai ressuscitou Jesus dos mortos (Atos 2:24; Efésios 1:17-20), todavia o Espírito ressuscitou Jesus de entre os mortos (Romanos 8:11).

    2 - Deus Pai vivifica (dá vida) aos mortos (Romanos 4:17; I Timóteo 6:13), no entanto o Espírito é quem o faz (Romanos 8:11).

    3 - O Espírito nos adota, o que significa que Ele é o nosso Pai (Romanos 8:15 e 16).

    4 - O Espírito habita a vida de um cristão (João 14:17; Atos 4:31), o Espírito do Pai habita os corações dos homens (Efésios 3:14-16). É o Pai que vive em nós (João 14:23).

    5 - O Espírito Santo é nosso Consolador (João 14:26), mas o Pai é que é o Deus de toda consolação, que nos consola em toda tribulação (II Corintios 1:3 e 4).

    6 - O Espírito nos santifica (I Pedro 1:2), mas é o Pai nos santifica (Judas 1:1).

    7 - Toda Escritura é dada por inspiração de Deus (II Timóteo 3:16), ainda assim, os profetas do Velho Testamento eram movidos pelo Espírito Santo (II Pedro 1: 21).

    8 - Nossos corpos são templos de Deus (I Corintios 3:16 e 17), mas diz também que somos templos do Espírito Santo (I Corintios 6:19).

    9 - O Espírito do Pai é quem nos dirá o que fazer em tempos de perseguição (Mateus 10:20), mas o Espírito Santo, também (Marcos 13:11).

    De todos esses versículos das Escrituras, concluímos que o Pai e o Espírito Santo são, simplesmente, duas descrições diferentes de um único Deus. Ou teríamos que crer que temos dois consoladores e outras coisas mais. Os dois termos descrevem um mesmo ser, mas dão ênfase ou esclarecem diferentes aspectos, papéis ou funções que Deus possui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então O Espírito Santo é o Pai de Jesus - e Jesus é a "função" encarnada?

      Excluir
  96. Amado do Senhor Edmilson.
    A Paz do Senhor Jesus.
    O Deus Indivisível ,Único , Um mesmo Ser, Deus. A nós se revela na Pessoa do Pai, Filho e O Espirito Santo. Os textos mencionados acima pelo amado do Senhor Eudizamor , nos fortalece a fé nesta linda revelação do Altíssimo.
    Alguém um dia mencionou:" Uma corda com três nóis "
    Tentando explicar O Deus Triúno.
    Como já foi mencionado, por causa do plano da salvação cada uma das Pessoas da Divindade assumiu uma função e uma posição, daí talvez a falta de compreensão de alguns, mas tudo tem seu tempo e sua hora para acontecer e creio que na plenitude dos tempos o que esta encoberto no momento se revelará.Ec.3. 1-8.
    Com respeito e consideração
    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
  97. Irmão Luciano, Jesus é a Pessoa de Deus encarnada. O Pai de Jesus é Espírito (Santo), que gerou em Maria um Corpo para que habitasse Sua Plenitude. O Corpo Humano de Jesus foi gerado pelo Espírito Santo (Deus), de modo que Ele se torna literalmente o Filho de Deus. Em S. Lucas 1:35 o anjo diz para Maria que "...o Santo que de ti há de nascer, SERÁ chamado Filho de Deus". É interessante notar a conjugação do verbo por Gabriel: será (futuro). A partir da manjedoura, Jesus assumiu o ministério de Filho (gerado) de Deus. Antes, Jesus se manifestava como o Senhor Jeová (precisa ver a reação das testemunhas de Jeová quando digo isso). Deus se manifestou em carne, que é o mistério da Piedade segundo o Apóstolo Paulo em I Timóteo 03:16. A Bíblia afirma que o mistério de Deus é Cristo (Colossenses 2:2), e não três pessoas. Toda a Plenitude da Divindade habita corporalmente em Cristo (Colossenses 2:9). Por favor, note bem o que diz o versículo: TODA Plenitude da Divindade habita no Senhor Jesus Cristo. No livro de Apocalipse, o Apóstolo João viu apenas UM trono, e o único que se assentava sobre ele era Jesus Cristo. Não deveria ter três tronos e três assentados? Que a paz de Cristo esteja sobre o irmão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimado Eudizamor.
      O Senhor te abençõe e te guarde.
      " o mistério de Deus é Cristo" Cl.2.2 " e não três pessoas ".
      Observe que a segunda pessoa já começa a ser revelada nesta sua colocação.
      O amado menciona: " João viu UM trono, e o unico que se assentava sobre ele era Jesus Cristo. ..."
      A omissão de uma informação não deve ser usada como prova. " Argumento do Silêncio ". As Escrituras narram Serafins, Querubins dia e noite diante da face de Deus... e não são mencionados em todos os textos que falam do trono. Observemos que João viu o Espirito Santo no céu Ap.1.4; 3.1; 4.5; 5.6.
      Em Dt. 6.4 Yahweh é o Ùnico ( ÉCHAD ) UNIDADE COMPOSTA implicita neste termo. Ele não se descreveu como ( YACHID ) UNIDADE SINGULAR.
      Analisando sem qualquer pré-conceito verificamos que a doutrina do DEUS TRIÚNO é muito clara na Palavra de Deus. O Pai ,tem função; O Filho tem função, o Espirito Santo tem função, porém Eles não são função. Já tivemos oportunidade de estudar em diversas postagens deste excelente blog e rico de informações, que O PAI, FILHO e O ESPIRITO SANTO é O DEUS VERDADEIRO COM UMA ÚNICA NATUREZA DIVINA , que se relacionam entre si.
      A Luz do Eterno ilumine nossas mentes e corações
      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
    2. Complementando o pensamento acima:

      o Pai é chamado de Deus Verdadeiro (Jo 17.3) e o Filho é chamado de Deus Verdadeiro (1 Jo 5.20), e o Espírito Santo é chamado de Deus (Atos 5.34), e, em Isaías capítulo 43 versículo 10 e 11 lemos:
      Vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor, e o meu servo, a quem escolhi, para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá. Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há Salva¬dor; se existem três pessoas chamadas na Bíblia de Deus Verdadeiro e ela não admite outro deus ou Deus, senão o Deus único, ou admitimos a pluralidade na unidade ou somos obrigados a admitir um politeísmo barato, insuportável e grosseiro.

      A Ele a Glória
      Em Cristo
      Wilto

      Excluir
  98. revelaçao?aonde esta essa revelaçao na biblia????o unico misterio que a palavra fala é Deus se fazendo carne!(1 timoteo3.16)esse é o verdadeiro misterio fora isso é invençao do homem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimado Edimilson.
      A Paz seja contigo.
      Existem muitas coisas encobertas, que a nós humanos não foram reveladas e a isto chamamos de mistério, existem coisas que só na eternidade Deus nos fará saber; outras estaremos entendendo aos poucos. Outras dependem de nós. De buscarmos, orarmos e nos humilharmos para compreendermos. Cada um de nós temos uma capacidade de compreensão, etc. Não nos esqueçamos de Dt. 29.29.
      Pode ter certeza que existem fatos que Deus esta te preparando para te fazer ciente e a mim também.
      Jo. 13.7
      Deus continue te iluminando, para Sua Glória
      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
  99. Tem idéias confusas aí. Sou assembleiano, mas há confusão demais aí, rapaz. Primeiro quando você diz que os autores dos evangelhos sinóticos diferem. Não é um só Espírito?? Não foi Ele que inspirou os homens?? pq eles diferem entre si??!! outra, se pode haver diferença, houve-se 30 outros evangelhos, e pq os outros, ou alguns deles não podem tbm fazer parte? Acho que, que nos meus conhecimentos minímosss, possa aprender e quero uma boa resposta. :) Acho que 'o nome de Jesus' é 'o nome de Jesus'...Não confundamos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existe confusão aqui... irmão.
      Os evangelhos não são 100% idênticos, são?
      O Espírito inspirou, ponto final.
      Estou falando dos canônicos.
      O Nome de Jesus é o Nome de Jesus, mas qual fórmula?

      Senhor Jesus?
      Senhor Jesus Cristo? Ou
      Jesus Cristo?

      Excluir
  100. Colossenses 2:2

    Irmão Wilton, poderia me dizer aonde é que em Colossenses 2:2 revela uma segunda pessoa? Jesus Cristo é a inteira pessoa de Deus. O versículo está eliminando de uma vez por todas as argumentações de teólogos que afirmam que o mistério de Deus é a trindade. O mistério de Deus é Cristo, e ponto final. Não dá mais margem para outra coisa. Ainda mais que no versículo 9 diz que em Cristo habita corporalmente TODA plenitude da Divindade, ou seja, toda Divindade está em Jesus, não sobrando divindade alguma fora d'Ele. Isso combina com Apocalipse 21:23 que diz que a glória de Deus é Luz, e o Cordeiro (Corpo humano) é a Sua Lâmpada. Eu te pergunto: a luz está dentro ou fora da lâmpada? É obvio que está dentro, né? Deus está por completo dentro do Senhor Jesus Cristo. Se há algum deus fora de Jesus, então eu afirmo sem medo de errar que este deus é falso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimado Eudizamor
      Jesus nos ama e nos conduzirá a toda verdade, em Seu Precioso Nome.
      Sinto-me edificado com suas explanações sobre a Divindade do Senhor Jesus. Ele realmente é O Deus Verdadeiro. O irmão já entendeu isto e nós também; porém continuaremos a orar, para que possas entender que O Pai e o Espirito Santo, são pessoas Distintas com a mesma Natureza e Essência em Unicidade com O Santo Filho Jesus.
      No Amor do Senhor Jesus
      Wilton

      Excluir
  101. Um Trono apenas

    Concordo plenamente com o irmão quando diz que o silêncio não deve ser usado como prova. Mas acontece que não há nenhuma omissão de informação no caso do Trono. Apocalipse 4:2 diz: "E logo fui arrebatado no Espírito, e eis que UM TRONO estava posto no céu, E UM ASSENTADO sobre o trono." (Apocalipse 04:02) Quantos estavam assentados? João diz apenas que “UM" (outras traduções usam a palavra "alguém”, mas não muda em nada o caso, pois o termo está no singular) estava assentado. Mais adiante diz que os que estavam diante do que estava assentado sobre o Trono o adoravam, dizendo: “Digno és, Senhor nosso (quem é o Único Senhor?) e Deus nosso (o qual é Jesus Cristo) de receber a glória, a honra e o poder, pois tu criaste todas as coisas (Jesus é o Único Criador), e por Tua vontade existem e foram criadas” (vs.10 e11). Logo, quem está assentado no único trono é o único Deus. Mas Deus não é uma trindade??? Então, na visão trinitária, qual dos três estava ocupando o trono? Seria o Pai, o Filho, ou o Espírito Santo? Ora, se é Jesus que está no trono, onde está o Pai? A resposta é: no Trono. Jesus disse que Ele estava no Pai, e o Pai estava n'Ele. Onde estiver Cristo, estará também o Pai. Como pode ser isso possível? Apocalipse 04:02 elimina qualquer possibilidade de haver outras duas pessoas no Trono. Vamos encontrar assentado uma única Pessoa: Jesus Cristo. Assim vemos que não sobrou trono para outras pessoas divinas. Apocalipse 07:17 complementa:

    “Pois o Cordeiro QUE ESTÁ NO MEIO DO TRONO os apascentará e os conduzirá às fontes das águas da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima.”


    Gosto muito de prestar atenção nos detalhes das palavras de Apocalipse 22, onde diz que na Cidade Santa estará O TRONO (de novo no singular) de Deus e do Cordeiro (será que possuem duas ou três pessoas assentadas? Lembre-se que Apocalipse cap's 04 e 05 diz que só existe UM assentado, ou seja, SOZINHO NO TRONO) e os seus servos O SERVIRÃO (e não os servirão) verão O SEU ROSTO (o quê? Deus e o Cordeiro tem apenas um rosto???) e nas testas dos salvos estará o SEU NOME (singular de novo??? Ora, Deus e o Cordeiro possuem um Único rosto e Único Nome). E que Nome seria este? É o Nome do qual toda família nos céu e na terra toma, o Único nome pelo qual devemos ser salvos, o Nome que expulsamos demônios, o Nome que está sobre todo nome, enfim... este Nome é Jesus!

    ResponderExcluir
  102. Echad

    Realmente Echad pode significar "unidade composta", mas pode também uma unidade simples. Alguns exemplos que você mesmo poderá pesquisar e comprovar o que estou falando: Josué 12:9, I Reis 22:8, Ezequiel 33: 24, Ezequiel 48: 31 e 34 e Daniel 10:13. Em cada um dos versículos que citei, o echad representa UM em valor numérico. Os próprios judeus (entendidos do hebraico, algo que nós não somos) jamais entenderam que o Echad em relação a Deus se tratava de uma união cooperativista de pessoas separadas. Se echad representa uma trindade, então Abraão, o pai da fé, não compreendeu a natureza do Deus a quem ele servia. Se Israel entendia que echad em relação a Deus significava UM em valor numérico, quem sou eu para questionar?

    ResponderExcluir
  103. A maneira que você separou as pessoas da divindade, faz claramente três deuses. A sua declaração é que o Pai é Deus (1), o Filho é Deus (2), e que o Espírito Santo (3) é Deus. Voltamos então àquela velha equação que mencionei acima: 1 (Deus Pai)+ 1 (Deus Filho)+ 1 (Deus Espírito Santo)= 3. Veja só que confusão vocês mesmo fazem! Se Paulo diz que toda Plenitude de Deus habita em Jesus, logo temos em uma só pessoa (Cristo) o Pai, Filho e Espírito Santo. Não três pessoas, mas uma Única Pessoa manifesta em três títulos diferentes. Você citou Isaías 43 para defender a trindade, mas se analisar direitinho, verá que não tem nada nele que ensine uma divindade tríplice.


    Vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor (o Único Senhor é Jesus), e o meu servo (que é Deus em carne), a quem escolhi, para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá. Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há Salvador (existe algum outro Salvador a não ser Jesus?).


    Jeová está falando! E Jesus é o Senhor Jeová. Do contrário, teremos dois senhores, dois salvadores...

    ResponderExcluir
  104. Que a gloriosa paz de nosso Deus esteja sobre todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus era um ventrículo do Pai nessa sua postura. Ele não era mesmo, era o Pai, e o Pai não era o Pai, era o Filho..., o Pai não era o Filho apenas, mas também era o Espírito Santo... então é correto dizer que o Espírito Santo morreu na cruz, e não o Filho...

      As três pessoas são expressões que caracterizam a distinção dos centros de consciência na divindade. Jesus disse eu e o Pai somos um, ele não disse 'eu sou o pai'...

      a não ser que vcs deem ao humano Jesus uma consciência distinta.... é a única saída...

      mas o credo de calcedônia baseado na Bíblia negou essa possibilidade...

      Excluir
  105. Jesus não era um ventríloco! Mas Deus manifesto em um Homem. Como Homem viveu como um ser humano comum, mas sem pecado. Era sujeito às mesmas paixões que nós, mas venceu cada uma pela Palavra. Temos que entender que Jesus tinha duas naturezas: Divina e Humana. Como Homem sentiu fome, mas como Deus pôde multiplicar os pães e peixes; como Homem precisou de um barco para atravessar o mar da Galileia, mas como Deus pôde caminhar sobre as águas, e por aí vai. Como Homem ncessitou orar como cada um de nós. Ele foi (além de Salvador) o nosso exemplo. Mas Ele não orou para Si mesmo. Em Sua Humanidade orou à Deidade. Você poderia argumentar que isso seria orar para Si mesmo, mas não é. Seria se Jesus fosse um homem comum. Ele era muito mais do que isso: era um Deus humanizado cumprindo com as Escrituras. Salmo 65:2 diz que toda carne se chegará a Deus em oração, e sendo Ele o Verbo que se fez Carne, teve também que cumprir esta Escritura. Isso não fazia de Jesus duas pessoas, mas a mesma Pessoa em duas naturezas. É assim que nós cremos. Deus é um só, mas constituído de Pai, Filho e Espírito Santo, mas não como três pessoas separadas, mas como manifestações:

    "Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos, e em todos". (Efésios 4:6)



    Deus sobre todos: Pai

    Deus por todos: Filho

    Deus em todos: Espírito Santo

    ResponderExcluir
  106. Jesus nunca disse ser o Pai? A Bíblia não é um livro que se lê como se lê uma revista ou um livro qualquer. Ela deve ser lida nas entrelinhas. Filipe pediu para o Senhor mostrar-lhes o Pai. E sabe o que Jesus disse? "Filipe, há tanto tempo tenho (pronome pessoal EU) estado convosco e não me tendes conhecido? Quem me vê a mim, vê o Pai. O Pai está em mim". abertamente, mas o disse nas entrelinhas da Palavra.
    Isaías 09:06 é um grande versículo para a compreensão da Divindade. Vamos examiná-lo:

    "Porque um menino nos nasceu, um Filho (olhe só! o versículo fala de seu nascimento como Homem) se nos deu, e o principado (o Poder) está sobre os seus ombros, e se chamará o seu Nome: Maravilhoso, Conselheiro (traduzido no grego por Parácleto, ou seja, advogado, consolador), Deus Forte (que é Único), Pai da Eternidade (ou será que temos dois Pais na divindade?), Príncipe da Paz (como o Filho que se nos deu) .

    Só neste único versículo Jesus foi chamado de Filho (o Filho que se nos deu), de Consolador (Conselheiro) e Pai (Pai da Eternidade). Isaías expôs todos atributos de Deus. Paulo em I Co 08:06 diz que somente Deus é o Pai, e se Jesus não for o Pai, logo não pode ser Deus (será que Paulo se equivocou? creio que não). Se Jesus disse Ele e o Pai UM, não vou discutir com Ele. Por que não disse "Eu, o Pai e o Espírito Santo somos um"??? Já notou que a terceira pessoa sempre fica de fora? Por que não tem um diálogo das duas primeiras pessoas com a terceira? Teriam se esquecido do deus n° 3? Mas creio que não, porque o Espírito Santo é o Pai (a parte Divina) de Jesus (Humano), a quem Ele se dirigia.

    ResponderExcluir
  107. O credo de Calcedônia

    Se crê que o credo de Calcedônia foi baseado na Bíblia e que deve ser considerado, então a Igreja Católica está corretíssima em afirmar que Maria é a mãe de Deus.

    No mais, que as bençãos de Deus estejam sobre sua vida!

    ResponderExcluir
  108. Não existe erro na expressão "mãe de Deus". Existe erro no conceito atribuído.

    O que estava no ventre dela era Deus completo?

    Essa é afirmação do Credo.

    Então, volte ao foco, a natureza de Jesus tinha consciência separa da pessoa?

    ResponderExcluir
  109. Sim, meu irmão! Deus estava por completo dentro de Jesus. Mas isso não faz de Maria a mãe de Deus, mas mãe do Corpo gerado por Deus. Você dizer que não há erro na expressão é caminhar na contramão da fé evangélica, pois em diversos livros de grande autores tratam da expressão como heresia. Maria era mãe da Humanidade de Jesus, e não de Sua Divindade. Creio que Jesus tinha duas consciências (opinião pessoal minha, mas vou explicar). Creio assim porque vemos na Bíblia Jesus falar como Homem (Filho) e em outro momento como Deus (Pai). Como Homem tinha as mesmas limitações que temos. Vemos algumas referências do Filho sabendo menos (o Filho não sabe a hora do advento) e sendo menor que o Pai (o Pai é maior do que eu). Daí tiramos a conclusão de Jesus ter a consciência Divina (que sabe todas as coisas) e a humana (limitada em conhecimento). A Bíblia mostra que "Ainda que era Filho, APRENDEU a obediência, por aquilo que padeceu" e "crescia Jesus em sabedoria". Como poderia ser assim? Isso mostra que em Jesus havia uma consciência Humana. Como poderia Deus ter que aprender? Mas o Homem Jesus precisava, assim como nós. A mesma Bíblia que diz que Jesus tinha que aprender, diz (em Colossenses) que n'Ele estão ocultos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento. Parece ser uma contradição, mas não é. Em Filipenses 2:7 diz que Jesus assumiu a forma de Servo. Note que Ele não era Servo, mas tomou para Si mesmo, no momento de Sua encarnação, a forma de Servo. E sabe qual é uma das características de um servo? É que ele “não sabe o que faz o seu senhor" (S. João 15:15). Quando Jesus disse que Ele não sabia a hora, o disse em Sua consciência Humana (ou do contrário estaria mentido). Versículos como este não provam que Ele não é Deus, mas que Jesus era Humano. O que Jesus não sabia em Sua consciência Humana, Ele sabia em Sua consciência Divina. O que Ele não sabia como o Filho, Ele sabia como o Pai. Você se lembra de quando Ele questionou Pedro três vezes: ” Simão, tu me amas? E Pedro respondeu: “Sim, Senhor." E na última vez, Pedro respondeu: "Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo".
    Como Deus, não há nada que Ele não saiba. Mas como Homem, havia coisas que Ele não sabia. Apenas tenha em mente que Ele era realmente Homem e absolutamente Deus, e não terá dificuldade para entender Jesus em nenhuma das passagens da Bíblia Sagrada.

    ResponderExcluir
  110. Estimado Eudizamor
    Jesus nos ama e nos conduzirá a toda verdade, em Seu Precioso Nome.
    Sinto-me edificado com suas explanações sobre a Divindade do Senhor Jesus. Ele realmente é O Deus Verdadeiro. O irmão já entendeu isto e nós também; porém continuaremos a orar, para que possas entender que O Pai e o Espirito Santo, são pessoas Distintas com a mesma Natureza e Essência em Unicidade com O Santo Filho Jesus.
    No Amor do Senhor Jesus
    Wilton

    ResponderExcluir
  111. Irmão Wilton, obrigado pelas palavras! Eu simplesmente amo a Divindade de nosso Senhor Jesus Cristo. Dou minha vida por ela. Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  112. Estimado Eudizamor
    Paz seja contigo.
    Permita-nos mostrá-lo com todo respeito e consideração a forma como Deus se revela nas Escrituras como Pessoas Distintas.
    No batismo do Senhor Jesus no Evangelho Mt. 3.16-17. " E, sendo JESUS batizado, saiu logo da água, e eis que SE LHE ABRIRAM OS CÉUS e veio O ESPIRITO DE DEUS descendo como pomba e vindo SOBRE ELE. e eis que uma VOZ DOS CÉUS dizia : ESTE É O MEU FILHO AMADO, em quem me comprazo "
    OBS: 1. JESUS FISICAMENTE NA TERRA
    2. O ESPIRITO DE DEUS MATERIALIZADO NA POMBA
    3.O PAI DOS CÉUS FALANDO SOBRE O FILHO.

    Veja que não há de maneira alguma três manifestações de UMA MESMA PESSOA , mas sim de CADA UMA DAS PESSOAS , as quais reconhecemos como o Deus Triúno.
    O Verbo que se fez carne, nas águas;
    Apessoa do Espirito Santo, em forma Corpórea de uma pomba;
    A pessoa do Pai falou do Céu.

    Se o Senhor Jesus estivesse SE MANIFESTANDO apenas em formas distintas, estaria falando consigo mesmo em UMA CENA FALSA E TEATRAL.
    Deus é uma unicidade composta.
    O Credo de Atanásio, escrito contra arianos diz : " Adoramos um só Deus na Trindade, e a Trindade na Unidade. NÃO CONFUNDINDO AS PESSOAS, NEM DIVIDINDO (SEPERANDO) A SUBSTÃNCIA ".
    Este pensamento contesta o pensamento Mormon, que diz que a Trindade é contituída de três deuses. Ao contrário, A Trindade é formada de Um só Deus eternamente subsistênte em três pessoas.
    ( Mt.28.19; Ef.4.4-6; 1 Co.12.4-6 e 2 Co.13.14 ).

    A Luz do Eterno seja sobre ti
    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
  113. Irmão, será que o batismo de Jesus pretendia apresentar aos judeus devotos uma doutrina nova de pluralidade de pessoas na divindade? O batismo de Jesus significou a Unção autorizada do Filho como o Messias. De acordo com essas passagens (que narram o batismo de Cristo), o Filho de Deus foi batizado, o Espírito Santo desceu como uma Pomba, e uma Voz vinda do céu falou. Para entender a cena, precisamos nos lembrar que Deus é onipresente. Jesus era Deus manifestado em Carne enquanto esteve sobre a terra. O Corpo Humano de Jesus não era onipresente, mas Seu Espírito era. Embora a Plenitude de Deus habitasse o Corpo de Jesus, o Espírito (que é onipresente, pois enche o céu e a terra segundo diz o livro de Jeremias) de Jesus não estava confinado. Assim, Jesus podia estar no céu e na terra ao mesmo tempo. Não foi o que Ele disse para Nicodemos: "Ninguém subiu ao céu, senão Aquele que desceu do céu, a saber, o Filho do Homem, QUE ESTÁ NO CÉU (João 3:13). O que Jesus disse? Que está no céu? Conjugou o verbo estar no tempo presente. Note que Ele não disse que "estava" ou que "vai estar", mas que QUE ESTÁ NO CÉU. Portanto meu amado irmão, uma compreensão correta da onipresença de Deus elimina qualquer noção que a Voz e a pomba requerem pessoas distintas (assim como a Voz de Deus, que vinha do Monte Sinai, não significava que a montanha era uma pessoa separada da divindade). Tendo em mente a onipresença de Deus, podemos compreender o batismo de Cristo muito facilmente. Não foi difícil, de modo algum, para o Espírito (que enche o céu e a terra) de Jesus falar dos céus e enviar manifestação de seu Espírito em forma de Pomba, mesmo quando seu Corpo Humano estava no rio Jordão sendo batizado por João Batista. A Voz e a Pomba eram manifestações de um Deus onipresente. Aquilo foi um sinal de Deus apenas para João Batista. Ninguém mais alí ouviu nada, exceto João (S. João 1: 29-34). Jesus usou o batismo como ponto de partida de Seu ministério terreno. Naquele momento, João Batista entendeu quem era Jesus. Até o batismo, ele não sabia que Jesus era realmente o Messias, e após o batismo ele pôde declarar ao povo que Jesus era o Filho de Deus e o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. A Pomba era um tipo de Unção que marcava o início do ministério de Jesus Cristo. No Velho Testamento, os profetas, sacerdotes e reis eram ungidos com óleo para indicar que Deus os havia escolhido (Êxodo 28:41, I Reis 19:16). Os sacerdotes eram lavados em água e ungidos com óleo (Êxodo 29:4 e 7). Todos nós sabemos que o óleo era um tipo do Espírito Santo. O Velho Testamento profetizava também que Jesus seria Ungido de modo semelhante (Salmo 2:2; 45:7 e Isaías 61:1). Jesus veio para cumprir os papéis de Profeta, Sacerdote e Rei (Atos 3:20-23, Hebreus 3:1 e Apocalipse 1:5). Assim, Ele veio para cumprir a Lei (Mateus 5:17 e 18), e para cumprir Sua própria lei, precisou ser Ungido como Profeta, Sacerdote e Rei.

    ResponderExcluir
  114. O Evangelho de S. João 12:28-30 relata um acontecimento parecido no qual uma Voz veio do céu e confirmou o ministério de Jesus para o povo. Jesus disse que a Voz não viera por Sua causa, mas por causa do povo. Muitas pessoas estavam presentes ao batismo de Jesus, e muitos estavam sendo batizados (Lucas 3:21), portanto o Espírito destacou o Homem Jesus e o identificou como o Filho de Deus, através de uma Voz vinda do céu. Portanto meu irmão, o batismo de nosso Senhor Jesus Cristo não nos ensina que Deus seja uma trindade (três pessoas), mas revela a onipresença de Deus (que estava no céu) e a Humanidade do Filho (que estava na terra). Deus pode falar aqui em Goiânia, Rio de Janeiro ou São Paulo ao mesmo tempo, não sendo Ele três pessoas, mas, o sim, o Único Deus em Sua Onipresença. No cenáculo havia 120 pessoas manifestando o Poder de Deus, e isso não faz d'Ele 120 deuses, mas um Único Deus em 120 manifestações diferentes. Resumindo tudo (creio que o irmão deve ter entendido), vemos o batismo de Jesus não como uma indicação da trindade, mas como uma referência à "Unção autorizada de Jesus como o Messias".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vereficamos que no batismo do Senhor Jesus Cristo o Deus Triúno se manifesta revelando-se e demonstrando o relacionamento do Pai, no Céu ; O Filho na terra e O Espirito Santo descendo na forma de uma pomba sobre o Senhor.
      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
    2. Apesar de sua explicação no sentido da Onipresença do Senhor e a referencia à Unção do Espirito Santo capacitando-o como homem à realizar à Obra na terra, não " derruba " a interpretação da manifestação do Pai e do Espirito Santo como Pessoa no batismo.
      Com respeito
      Wilton

      Excluir
    3. Como mencionamos o Pai e o Filho não são as mesmas pessoas. Atente para o que esta escrito:

      1- JESUS E O PAI em diálogo ANTES DA ENCARNAÇÃO

      Salmos 110:1 ¶ Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.

      Mc 12:36 O próprio Davi falou, pelo Espírito Santo: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés.

      2-A bíblia diz que o Pai e Jesus são PESSOAS DISTINTAS :
      JO 6:17 Também na vossa lei está escrito que o testemunho de duas pessoas é verdadeiro.

      18 Eu [Jesus] testifico de mim mesmo, e o Pai, que me enviou, também testifica de mim.
      Jesus sendo Deus e Homem é uma pessoa e o Pai é apenas Deus, LOGO 2 (DUAS PESSOAS)!!!


      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
  115. A Bíblia relata três ocasiões uma Voz vinda do céu: por ocasião de Seu batismo, em Sua transfiguração (S. Mateus 17:1-9), e após Sua entrada triunfal em Jerusalém (S. João 12:20-33). A Voz não indica uma pessoa separada na Divindade, mas é o mesmo Espírito (que é Deus Onipresente) em uma outra manifestação. O irmão até poderia dizer que se trata de um teatro se Jesus fosse uma Pessoa comum, mas Ele era Deus (Pai) e Homem (Filho) ao mesmo tempo. Não é o que Isaías diz no capítulo 9:6? Diz que "...Um Filho se nos seu", mas que é o mesmo "Pai da eternidade". O Homem estava na terra entre os homens, mas Sua Deidade seguia com o atributo da Onipresença (S. João 3:13).


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimado Eudizamor
      Às vezes usamos palavras que não soam " bem " para comentarmos algo que queremos explicar acerca das coisas espirituais, creio que O Senhor compreende e sabe de nossa sinceridade e desejo de conhecê-lo melhor e desejarmos que outros entendam também.
      Saiba que amamos o irmão e o Senhor Jesus sabe de nossa sinceridade.
      Deus continue a esclarecê-lo e nos iluminar sempre Pv. 4.18
      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
    2. Estimado Eudizamos
      Jesus é a Nossa Paz, Aleluia!
      Verificamos claramente Jesus nos revelando, 2 ( duas ) pessoas distintas, quando Ele levanta seus olhos aos céus e O Senhor Jesus com o Pai, realiza a oração Sacerdotal João 17. 1-26, revelando-nos de forma bem clara, sem forçar o texto sagrado, O Pai no céu e Jesus na terra, como homem e a Sua Divindade ocupando os 100% de Seu corpo humano, que também ocupava os 100% homem.
      Não forcemos a interpretação e admitamos O Pai 1( uma ) pessoa no céu e o Filho na terra 2 ( segunda ) pessoa.
      Ore de todo coração e o Espirito Santo tirará de teus olhos todas as escamas , que impedem de ver com toda naturalidade a verdade das 2 ( duas ) pessoas distintas.
      Com todo respeito
      Teu Amigo e adorador do Senhor Jesus Cristo
      Wilton

      Excluir
  116. Agora, o credo de Atanásio dá sim margem para crer que haja três deuses. Diz que uma é a pessoa do Pai, outra do Filho, e outra do Espírito Santo, mas a fé católica os proíbem de pensar que sejam três deuses e três senhores. Mas se o Pai é Deus (1), o Filho é Deus (2) e o Espírito Santo também é Deus (3), logo são de fato três deuses, ou a linguagem perde por completo seu sentido. A soma se torna 1 + 1 + 1 = 3. Se houver outros dois integrantes na divindade ao lado de Jesus Cristo, então elas também deverão se curvar diante o Senhor Jesus. Não é que está escrito em Filipenses 2? Que todos (ou seja, sem excessão alguma) os joelhos do que estão no céu, na terra, e debaixo da terra dobrarão seus joelhos diante Jesus e confessarão que Ele (o Homem que foi feito Senhor e Cristo) é o Senhor para a glória de Deus Pai (a Deidade Suprema).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Eudizamor
      Paz seja contigo.
      O Pai e o Espirito Santo não se dobrarão, pois os mesmos como pessoa distinta de Jesus, conforme claramente ensinado nas Escrituras, é o Deus Único, o qual admitimos a pluralidade na unidade, porisso cremos que os anjos , arcanjos, serafins, querubins, etc. ; todos se dobrarão diante do Senhor Jesus, que como mensageiro da Divindade,cumpriu todas as exigências que eram necessárias para que tivessemos acesso ao Deus Eterno e a comunhão se restabelecesse. A Ele à Glória para todo o sempre e pelos Séculos dos Séculos.
      Fl.2 e 2 Jo.1.3
      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
  117. Estimado Eudizamor.
    Por tudo o que já foi exposto neste Site, creio que você acompanhe outras paginas também, esta muito claro que O Deus que servimos é Onipresente e que Ele se revela no N.T. de forma mais Glóriosa, pois agora vivemos no tempo da GRAÇA e o que estava obscuro no passado se revela de forma clara neste tempo maravilhoso em que vivemos. Não estamos na debaixo da Lei; a salvação é tão somente pela graça do Senhor . Jesus pagou nossa dívida e nos reconciliou com Deus. As obras dEle nos garante a Salvação de nossas almas. Ef.2.8-9.
    O mistério do Deus Triúno, não tão claro no A.T. foi revelado no N.T. de forma mais clara de compreendermos. Porém nem todos ainda compreendem.
    A compreensão da Divindade em toda Sua Essência é impossível para nós seres humanos devido nossa limitação. Existem coisas que ainda não estamos capacitados para entender. Jo.13.7
    O Deus Triúno pode ser " explicado " comparado a UMA CORDA PERFEITA SEM ESTAR EMENDADA COM TRÊS NÓS.
    DEUS EM SUA ESSÊNCIA E NATUREZA ' SERIA A CORDA E OS TRÊS NÓS SERIA AS PESSOAS.
    1+1+1= 3 ( PESSOAS )
    1x1x1=1 ( DEUS EM SUA NATUREZA ESSÊNCIA )
    Não há dificuldade para entendermos olhando deste prisma e analisando a revelação no Batismo do Senhor e em outras passagens bíblicas.
    Depois comentaremos mais e tempo não me permite no momento comentar mais.
    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
  118. SOBRE O ASSUNTO, ESCUTEM A SEGUINTE MENSAGEM:

    Estamos a disposição para um diálogo sadio e santo à luz das Sagradas Escrituras.

    http://www.4shared.com/mp3/7RlRnm6l/batismo_em_nome_de_jesus.htm

    ResponderExcluir