segunda-feira, 17 de abril de 2017

Depravação Total – A Incapacidade resultou em Inimizade

A doutrina da depravação total, o primeiro ponto do calvinismo, é uma doutrina protestante clássica. Pertence aos Reformadores ‘magistrais. O efeito é inimizade e incapacidade do ser humano, condição essa apenas sendo, por um chamado irresistível que, o eleito é regenerado para se inclinar ao Senhor. Assim pensava Lutero, Calvino e as Confissões Bíblias Reformadas. Os Arminianos, Católicos e os Wesleyanos confessam a Depravação Total, mas a diluem de outra maneira.

Ø  Na prática, hoje em dia, depois de muita militância calvinista, os Pentecostais (clássicos) ‘começam’ a se apegar à doutrina da Depravação Total Protestante, nas raízes arminianas – que dizem eles, serem herdeiros, deixando o semi-pelagianismo tão presente em suas pregações e práticas.

Os Arminianos, Católicos e Wesleyanos, confessam, porém a falsa doutrina da ‘graça preveniente’ – (particularmente àqueles que ouvem o evangelho). E não raro, também precisam preservar o Livre-Arbítrio, como ponto convergente.
Arminianos:

Muitos cristãos creem na doutrina da depravação total. Isso significa que os seres humanos estão mortos em seus pecados e não podem fazer nada para ajudar ou melhorar seu estado espiritual diante de Deus. Entretanto, é também um ponto de vista cristão crer no livre arbítrio. Isto significa que afirmamos que Deus quer que agimos e tomamos decisões a seu favor. Este é o problema: Como uma pessoa espiritualmente morta pode agir ou decidir dar suas vidas a Cristo? A Bíblia está repleta de prescrições para agir – as pessoas são chamadas a se arrepender, crer, vir, decidir e assim por diante. A resposta é a doutrina da graça preveniente. Esta é a ponte entre a depravação humana e o livre exercício da vontade humana. A graça preveniente é um ato soberano de Deus pelo qual ele suspende a raça humana de sua depravação e nos concede a capacidade de respondermos à graça de Deus. Ela é um ato de Deus de favor imerecido. É a luz de Deus “que ilumina a todo o homem” (Jo 1.9, ACF), que nos levanta e permite que exercemos nossa vontade e respondemos à graça de Cristo. (Fonte: http://www.arminianismo.com/index.php/categorias/diversos/artigos/137-timothy-c-tennent/351-timothy-c-tennent-o-que-e-graca-preveniente-precedente?highlight=WyJncmFcdTAwZTdhIiwiZ3JhXHUwMGU3YSciLCInZ3JhXHUwMGU3YSIsInByZXZlbmllbnRlIiwiZ3JhXHUwMGU3YSBwcmV2ZW5pZW50ZSJd).

Católicos

797. Declara ainda [o Santo Concílio]: o início da justificação dos adultos deve brotar da graça proveniente de Deus [cân. 3] por Jesus Cristo, a saber, de sua vocação, pela qual são chamados, sem qualquer merecimento da parte deles. Assim, aqueles que estavam afastados de Deus pelos pecados, se dispõem [amparados] pela sua graça, que excita e auxilia (per eius excitantem atque adiuvantem gratiam), a alcançarem a conversão e a própria justificação, consentindo livremente nesta graça e livremente cooperando com ela [cân. 4 e 5]; de forma que, tocando Deus o coração do homem com a iluminação do Espírito Santo, fica o homem por um lado não totalmente inativo, recebendo aquela inspiração, que poderia também rejeitá-la; por outro lado, não pode ele de sua livre vontade, sem a graça de Deus, elevar-se à justificação [cân. 3] diante de Deus. Por isso, quando nas Sagradas Escrituras se diz: Convertei-vos a mim e eu me converterei a vós (Zac 1, 3), somos lembrados de nossa liberdade; quando, porém, respondemos: Convertei-nos, Senhor a vós, e seremos convertidos (Lam. Jer 5, 21), confessamos que a graça de Deus nos previne. (http://www.montfort.org.br/bra/documentos/concilios/trento/#sessao6)

Wesleyanos, [e demais], na prática, eliminam a Depravação Total – (parece que nascendo da teoria da expiação governamental, também olham para a graça preveniente a todos)

"[a graça preveniente] cerca toda humanidade e precede cada um de, e todos, os nossos impulsos conscientes. Essa graça proporciona o nosso primeiro desejo de agradar a Deus, o nosso primeiro vislumbre de entendimento sobre a vontade de Deus, e a nossa 'primeira breve convicção' de ter pecado contra Deus. A graça de Deus também desperta em nós um ardente desejo de libertação do pecado e morte, assim como nos leva ao arrependimento e a fé." (

“(8) Do livre arbítrio: A condição do homem, depois da queda de Adão, é tal que ele não pode converter se e preparar-se pelo seu próprio poder e obras, para a fé e invocação de Deus; portanto, não temos forças para fazer boas obras agradáveis e aceitáveis a Deus sem a sua graça por Cristo, predispondo-nos para que tenhamos boa vontade e operando em nós quando temos essa boa vontade.” (http://metodistabrasil.blogspot.com.br/2010/05/doutrinas-da-igreja-metodista.html).

Podemos perguntar ao wesleyano - Com isso, quem está realmente incapacitado hoje? Ninguém...

Essa ‘graça’ é um dos dois pontos nevrálgicos que resulta na grande diferença. A grande questão no caso entre Reformados e os demais, não é a doutrina da depravação total em si, mas sim essa 1) graça preveniente (que dá base paro o sistema sigernista) e o 2) chamado irresistível. Talvez até mesmo por causa da compreensão Reformada daquilo que a Depravação Produz, não apenas morte, mas inimizade, a doutrina graça preveniente católica-arminiana, olhe apenas como “incapacidade”. Aqui está a razão dessa minha postagem.

A Depravação Total, não é incapacidade, a priori, mas inimizade! Ou talvez de forma mais Reformada e Confessional – a Depravação não é apenas Incapacidade, mas também e igualmente, Inimizade! Em toda a Bíblia, o teor da Depravação está na inimizade, que é resultado da Queda, e dos pecados atuais também, não apenas de uma incapacidade, na inoperância. Deus oferece o evangelho livremente a todos os seus inimigos! E a incapacidade humana, se torna, também, em uma inimizade atuante contra Deus.

Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida. (Rm  5.10).
Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.
Romanos 8:7
E não quereis vir a mim para terdes vida.
João 5:40
E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados,
Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência;
Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também.

Um inimigo não se interessa pelo seu ‘desafeto’ até que cesse a guerra e haja perdão e paz. E o Deus gracioso, Ele mesmo, termina essa guerra (‘ele faz cessar as guerras’) a Seu tempo com os eleitos, tirando o coração de pedra deles. Após isso, Deus se torna irresistível a esses.

Porque já ouvistes qual foi antigamente a minha conduta no judaísmo, como sobremaneira perseguia a igreja de Deus e a assolava. E na minha nação excedia em judaísmo a muitos da minha idade, sendo extremamente zeloso das tradições de meus pais. Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça,



28 comentários:

  1. Olá Luciano!

    Os teólogos não conseguem discernir um conteúdo homogêneo bíblico e ficam criando teorias, doutrinas ou sofismas a partir de uma visão parcial bíblica, fazendo com que cada teoria obtenha partes verdadeiras e partes enganosas, apesar de Deus levar em consideração a ignorância do ser humano, tendemos a amadurecer esse conteúdo, portanto quem segue cegamente os ditames ultrapassados de calvino ou arminio, cegam-se a si próprios referente a verdades maiores que são primordiais para a preparação da volta de nosso amado Salvador e para isto a Adventista através da Profeta de Deus, tem muito a mostrar para este mundo teológico ultrapassado.

    A TULIP é um conceito errôneo e limitado de uma visão bíblica onde Deus é o responsável por levar todas pessoas a salvação ou ao tormento.

    A Remonstrância é de igual teor errôneo e limitado, apesar de vir posterior ao Arminianismo e estabelecer o livre arbítrio, tb erra ao creditar uma "Fé Cega" (Fideísmo) de que Cristo e o Espirito vão apoiar o crente apenas por crer (Os demônios e os Fariseus tb acreditavam em Deus mas estão destinados ao fogo) e esquecem que a obediência aos mandamentos (mesmo não sendo Antinomistas, não querem amadurecer a obediência a todos mandamentos, principalmente ao 4º que é sobre o sábado) é condição primordial para que o ser humano esteja próximo, perante a graça de Cristo e diante de um Julgamento por suas obras.

    Depravação Total é espúrio do pecado, pois não explica o sofrimento e livre rejeição de Cristo, das tentações de satanás no deserto, que Ellen bem explica sobre Cristo e sobre a má decisão de Adão de não recusar a tentação no éden. Podem até dizer que Cristo é Deus e não é comparável ao ser humano para rejeitar o pecado, mas estarão negando 1 João 4:3.

    Graça Preveniente é espúrio do bom desejo, tanto sociólogos quanto teólogos mal interpretam a vontade humana, pois não sabem explicar o que significa 1 Cor 6:19 e Mat 12:43-45.

    Na Adventista também existe um racha de adeptos de certa doutrina a favor ou contra os 144 mil sem pecado (doutrina da perfeição). Seria interessante se vcs deixassem o calvinismo e arminianismo (ultrapassados) de lado e discutissem essa doutrina da perfeição. haha

    Abraços
    A Paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Wesley.

      Preferir sérios reformadores a "Adventista através da Profeta de Deus, tem muito a mostrar para este mundo teológico ultrapassado."

      Só pode ser uma piada religiosa... vc não escreveu isto?!?!

      Vc tb escreveu: "A TULIP é um conceito errôneo e limitado de uma visão bíblica onde Deus é o responsável por levar todas pessoas a salvação ou ao tormento."

      Corrigindo: Deus é responsável a levar as pessoas ao céu, >>não ao inferno<<. Elas vão para lá por que escolheram em Adão e o mantém em vida. O urubu escolhe a carniça livremente.

      Não há nada de tão nobre no adventismo, a ponto de compará-lo ao debate a soteriologia clássica. Pior ainda, substituir essa palha [adventismo], com ouro [reforma].

      Melhor vc abandonar a crença nessa mulher molestada mentalmente e voltar às Escrituras.

      Abraços

      Excluir
    2. Bom dia Luciano!

      Vc disse: "Deus é responsável a levar as pessoas ao céu, >>não ao inferno<<. Elas vão para lá por que escolheram em Adão e o mantém em vida. O urubu escolhe a carniça livremente."

      Resposta: Vc desistiu de ser Calvinista para ser Arminiano??? rsssss.

      Vc me disse para abandonar minha crença e eu lhe digo para refletir um pouco mais no Adventismo.

      Abraços meu Irmão

      Excluir
    3. Qual exposição da doutrina calvinista vc leu?

      Excluir
    4. A Confissão de Fé de Westminster não é suficiente para vc?

      Excluir
    5. Sim, claro. Mas uma confissão, não uma exposição exaustiva. Veja o que vc disse o que não é calvinismo:

      "Deus é responsável a levar as pessoas ao céu, >>não ao inferno<<. Elas vão para lá por que escolheram em Adão e o mantém em vida. O urubu escolhe a carniça livremente." Resposta: Vc desistiu de ser Calvinista para ser Arminiano??? rsssss."

      Veja o que o Catecismo Maior de Westmister diz:

      "68. Os eleitos são os únicos eficazmente chamados? Todos os eleitos, e somente eles, são eficazmente chamados; ainda que outros o possam ser, e multas vezes são exteriormente chamados pelo ministério da palavra e tenham algumas operações comuns do Espírito, contudo, **pela sua negligência e desprezo voluntário da graça que é oferecida, são justamente deixados na sua incredulidade e nunca vêm sinceramente a Jesus Cristo**. At. 13:48, e 2:47; Mat. 22:14, e 13:20-21; Sal. 81:11-12; João 12:38-40."

      Ok?

      Vc não sabe muita coisa de calvinismo... melhor defender o adventismo, vc faz melhor em seu terreno.

      Abraço

      Excluir
    6. Entendi Luciano...
      Me explica uma coisa então...

      Porque manter a incoerência deste seu texto que diz ser "voluntário" (do pecador) e no texto da confissão estar como "sua própria vontade" (de Deus)?

      **pela SUA negligência e desprezo VOLUNTÁRIO da graça que é oferecida, são justamente DEIXADOS na sua incredulidade e nunca vêm sinceramente a Jesus Cristo**"

      "Capitulo 3: dos eternos decretos de Deus
      7. Segundo o inescrutável conselho de sua PRÓPRIA VONTADE, pela qual ele CONCEDE ou RECUSA misericórdia, COMO LHE APRAZ, para a glória de SEU SOBERANO poder sobre as suas criaturas, para louvor de sua gloriosa justiça, o resto dos homens foi Deus servido não contemplar e ORDENÁ-LOS para a desonra e ira por causa de seus pecados."

      Abraço

      Excluir
    7. Não há incoerência. Ambos os textos são dos mesmos autores e concílio, não foi meu... Catecismo Maior e Confissão, ambos de Westminster.

      Leia atenciosamente...

      Volto a dizer... vá para as postagens que falam de adventismo... lá vc é bem melhor :)

      Excluir
  2. É muito fácil perceber que a predestinação calvinista é blasfêmia contra o Espírito Santo. Na hora em que os predestinacionistas afirmam que Deus escolheu uns para salvar e outros para condenar, estão dizendo que Deus criou o pecado e, portanto, que Ele também peca, já que tudo, absolutamente tudo, integraria a sua soberana vontade. Assim é que o próprio Deus teria predestinado Lúcifer a se rebelar contra Si... Predestinou a Adão pecar; Predestinou Caim a matar Abel. Predestinou o pedófilo a estuprar e abusar de crianças. Predestinou o ladrão a roubar. Predestinou crianças inocentes ao inferno (Confissão de Westminster), predestinou o feiticeiro a cometer feitiçaria, predestinou o sodomita a cometer sodomia e o idólatra a cometer idolatria.

    E não tem para onde correr: a ignorância voluntária não escusa ninguém, o que se dirá daqueles que se propõe a ser mestres da Bíblia: teólogos, apologistas, pastores e assim vai...

    Mateus 12.31: "PORTANTO, EU VOS DIGO: TODO PECADO E BLASFÊMIA SE PERDOARÁ AOS HOMENS, MAS A BLASFÊMIA CONTRA O ESPÍRITO NÃO SERÁ PERDOADA AOS HOMENS”.

    Vel caeco appareat

    Agostinho Antialienação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Agostinho Antialienação -

      Em primeiro lugar, a Bíblia não ensina que Deus é autor do pecado. Em segundo lugar, sua inferência não é um resultado da posição Reformada. O sr citou a CFW, e a conhece ela muito bem, porém fez questão de não citar a parte dela que diz claramente:

      “I. Desde toda a eternidade, Deus, pelo muito sábio e santo conselho da sua própria vontade, ordenou livre e inalteravelmente tudo quanto acontece, **porém de modo que nem Deus é o autor do pecado**, nem violentada é a vontade da criatura, nem é tirada a liberdade ou contingência das causas secundárias, antes estabelecidas. Isa. 45:6-7; Rom. 11:33; Heb. 6:17; Sal.5:4; Tiago 1:13-17; I João 1:5; Mat. 17:2; João 19:11; At.2:23; At. 4:27-28 e 27:23, 24, 34.”

      “IV. A onipotência, a sabedoria inescrutável e a infinita bondade de Deus, de tal maneira se manifestam na sua providência, que esta se estende até a primeira queda e a todos os outros pecados dos anjos e dos homens, e isto não por uma mera permissão, mas por uma permissão tal que, para os seus próprios e santos desígnios, sábia e poderosamente os limita, e regula e governa em uma múltipla dispensação mas essa permissão é tal, que a pecaminosidade dessas transgressões procede tão somente da criatura e não de Deus, que, sendo santíssimo e justíssimo, **não pode ser o autor do pecado nem pode aprová-lo**. Isa. 45:7; Rom. 11:32-34; At. 4:27-28; Sal. 76:10; II Reis 19:28; At.14:16; Gen. 50:20; Isa. 10:12; I João 2:16; Sal. 50:21; Tiago 1:17.”

      Sobre isso Louis Berkhof diz:

      “outras coisas que Deus inclui no Seu decreto e pelo qual tonou certas, mas que não decidiu efetuar pessoalmente, como os atos pecaminosos das Suas criaturas racionais. O decreto, no que se refere a estes atos, **é geralmente denominado decreto permissivo. Este nome não implica que o futuro destes atos não é certo para Deus, mas simplesmente que Ele permite que aconteçam pela livre ação das Suas criaturas racionais. Deus não assume a responsabilidade por estes atos, sejam quais forem**.” (Teologia Sistemática, p. 97).

      Por último, sr Agostinho, a postagem é sobre depravação total e seus efeitos.

      Deixa eu te perguntar: o sr acredita na depravação total? (...)

      Excluir
    2. Prezado Luciano Sena,


      1. É verdade. A Bíblia em nenhum momento aduz que Deus teria sido o criador do pecado. A Bíblia não, mas e a teoria da predestinação calvinista, ou seja, a “posição reformada”?


      2. Você diz que a minha inferência não é resultado da posição reformada. Contudo, como você conceitua teoria da predestinação calvinista? O que é? Como se dá a predestinação calvinista? Ou: qual a “posição reformada” do ponto de vista CONCEPTUAL a respeito da predestinação calvinista? Ou, se preferir, para os gênios de Westminster ou Calvino em que consiste a teoria da predestinação?


      3. É que os textos coligidos por você de modo algum dizem com o que se tem com a teoria da predestinação calvinista. Aliás, além de conter grave contradição de lógica intrínseca, ou seja, quem o escreveu sequer teve a capacidade de perceber que o que disse no começo, a saber, “(...)Deus (...) ordenou livre e INALTERAVELMENTE tudo quanto acontece...” contradiz-se frontalmente com o que escrevera no momento seguinte: “NEM VIOLENTADA É A VONTADE da criatura, NEM É TIRADA A LIBERDADE...”. Epa! Oportuno indagar desse gênio: Deus ordenou “inalteravelmente tudo quanto acontece” ou a criatura tem liberdade de escolha, ou seja, “nem é tirada a sua liberdade”? É que uma coisa é antítese da outra! Além dessa contradição, também afronta diretamente o conceito de predestinação cunhada por Calvino e os gênios...



      4. Por incrível que pareça, o argumento de “Louis Berkhof” trazido por você diz com o LIVRE ARBÍTRIO e isso é tudo. A menos que você me demonstre dialeticamente, ou seja, faça uma ponte COERENTE entre a predestinação e o que o sujeito assim escrevera: “Este nome (decreto permissivo - sic) não implica que o futuro destes atos não é certo para Deus, mas simplesmente que Ele permite que aconteçam PELA LIVRE AÇÃO DAS SUAS CRIATURAS racionais. Deus não assume a RESPONSABILIDADE por estes atos, sejam quais forem.”.


      Ok. Só um ser livre pode ser responsável pelos seus atos...


      E por esta razão mesma oportuna a indagação: mas onde é que está a predestinação no fato de uma criatura que possui liberdade de escolha e, portanto, responsável pelas decisões que toma? O texto acima citado por você diz EXATAMENTE ISSO.


      UMA OBSERVAÇÃO. Em um debate que tive aqui mesmo em seu blog percebi uma postura não muito honesta e bastante recorrente de meu ex-adverso na ocasião, que era a de não responder diretamente a uma indagação comprometedora de sua tese que eu formulava, sempre respondia com uma outra coisa, e outra coisa e outra coisa e outra que não tinha nada que ver com o objeto de minha pergunta. Isso tem nome: síndrome de uma heresia.

      5. Respondendo direta e honestamente, aliás, como é o meu costume, a sua pergunta sobre se acredito na “depravação total”. NÃO. Não acredito porque o termo “depravação total” é um “flatus vocis”, quando muito trata-se de uma mera figura de linguagem, uma metonímia, em nada se relacionando com a realidade mesma. Absolutamente nada. Acredito no lugar de “depravação total” em Graça redentora, isto sim diz com o conjunto da realidade. Tanto que Noé e sua família foram salvos do Dilúvio; tanto que Ló foi salvo da destruição; tanto que Davi mesmo tendo assassinado covarde e cruelmente o seu general por causa da mulher dele foi considerado pelo próprio Deus um homem segundo o Seu coração; tanto que crianças são salvas em virtude de sua inocência; tanto que os retardados mentais serão salvos pelo mesmo motivo; tanto que aqueles que não tiveram e não tiverem a oportunidade de conhecer a Cristo poderão ser salvos porque julgados por Deus (e não pela TULIP, não pela doutrina calvinista, não pela igreja reformada, não por mim e nem por você) por atos de justiça que praticaram ou praticarem. Isso é Graça e não depravação total...



      6. Então Indago a você Luciano Sena, o que é predestinação? E afirmo eu: a predestinação calvinista é blasfêmia contra o Espírito Santo.


      Agostinho Antialienação, Ad verum ducit

      Excluir
  3. Prezado Agostinho

    1. Mostrei que não. Daqui para frente não posso fazer mais nada, já que o sr quer insistir na acusação, mesmo lendo nos postulados oficiais, e até de um Teólogo que tem unanimidade de aceitação no meio reformado.

    2. O termo predestinação (destinar de forma antecipada) compreendo, à luz da Bíblia, que Deus escolheu da massa caída um número de pessoas que em algum momento na vida deles, deixarão de rejeitar a exortação do Evangelho, se renderão a Cristo, e serão salvos. Os demais serão deixados em sua livre e voluntária rejeição à oferta que lhes são apresentadas.

    3. Seu esforço nesse parágrafo foi tentar fazer algo que fizesse a CFW não dizer o que ela disse, porém sem sucesso. Não houve contradição alguma, e aliás, leia novamente o que Berkhof escreveu, que está no centro nervoso do seu argumento.Outros autores elucidam mais ainda a questão.

    A. A. Hodge afirma: “Deve lembrar-se, contudo, que o propósito de Deus com respeito aos atos pecaminosos dos homens e anjos réprobos, em nenhum aspecto causa o mal nem o aprova, mas apenas permite que o agente mau o realize, e então o administra para seus próprios sapientíssimos e santíssimos fins.” (A Confissão de Fé comentada, p. 98).

    CFW diz: “I. Nossos primeiros pais, seduzidos pela astúcia e tentação de Satanás, pecaram, comendo do fruto proibido. Segundo o seu sábio e santo conselho, **foi Deus servido permitir este pecado deles, havendo determinado ordená-lo para a sua própria glória.** Gen. 3:13; II Cor. 11:3; Rom. 11:32 e 5:20-21.” (Cap. 6).

    4. Está apenas fazendo um esforço de fazer com que o que ele disse, não tenha o efeito devastador sobre sua acusação. Perceba, caro Agostinho, sua construção está em cima de sua conclusão e inferência. Ela não tem correspondência com a posição confessional reformada. Perceba...

    5. Percebo que não temos o pressuposto semelhante, no que diz respeito a esse assunto tão nevrálgico e regimental [depravação total], para o debate em tela [predestinação]. Meu conselho é que a ler o sr volte as doutrinas cristãs, os teólogos e reformadores, confira biblicamente as bases, o sr não pode estar certo e a nuvem de cristãos estar errada. Lamento, mas não haverá avanço significativo.

    O sr é o mesmo do site do CACP? O JCP?

    6. A predestinação "calvinista", é a mais pura, legítima, e cristã, doutrina bíblica. Negar a depravação total, sim, é negar uma revelação do Espírito.

    Deus te ilumine.

    ResponderExcluir
  4. Prezado Luciano Sena,

    1. Sobre: a) Teólogo gabaritado e b) o fato de que não pode uma “...nuvem de cristãos estar errada...” e eu, Agostinho Antialienação, certo, onde já se viu... (ou, digo eu: Mentira Personalizada versus Julgamento Autônomo):

    Raoul Dederen;
    Samuele Bacchicchi;
    Hans LaRondelle,
    Willian Shea,
    Jacques Doukan,
    Etc, etc. etc. etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc...

    Se postulados deduzidos por doutores teólogos gabaritados legitimassem uma tese, os que eu acabei de citar acima provariam, ‘ipso facto’, que a guarda do sábado é uma imposição doutrinal bíblica a ser observada por todos os cristãos. Ponto.

    Porque o pressuposto de uma verdade estaria assentada em QUEM disse em vez no QUE foi dito...

    E, rememorando: o que é QUE foi dito? Foi dito isto por mim: “a predestinação calvinista é blasfêmia contra o Espírito Santo”. E o QUE foi dito por você, Luciano Sena? Foi dito isto por você agora mesmo: “A predestinação "calvinista", é a mais pura, legítima, e cristã, doutrina bíblica”.

    Então, entendo que estamos a discutir sobre o QUE fora dito e não sobre QUEM disse o QUE...

    Ora, ainda que o QUEM seja um anjo do céu... Eu sinto muito, isto diz com a principiologia teleológica da exegese; Agostinho Antialienação sempre estará certo diante de um anjo do céu que porventura “traga um outro evangelho”, o que dirá diante de teólogo renomado herege...

    Mas não é só.

    Se maioria, ou muitos, ou “nuvem” do que quer que seja é a prova inconteste de um acerto, está mais do que evidente que a turba (maioria) que pediu a soltura de Barrabás e a condenação de Cristo praticou um juízo de valor justo, correto! No Brasil-cristão de maioria católica – no que diz com aquilo que divergem dos evangélicos - é claro que os católicos tem razão porque são maioria... Na Arábia Saudita o islamismo é uma “nuvem” em relação aos cristãos que lá vivem, logo, portanto, é evidente que Jesus não é o Verbo que se fez carne e sim e apenas um relevante profeta, inclusive não sendo filho de Deus até porque Alá não é gerado e também não pode gerar...

    E nem estou considerando averiguar se a teoria calvinista é defendida pela maioria dos evangélicos: é que maioria ou minoria ou muitos ou poucos ou um só, como eu disse, não comprova e nem infirma uma verdade.

    Continua...

    ResponderExcluir
  5. Mentira Personalizada e pensamento autônomo. E daí Luciano Sena, percebo uma ausência em você de pensamento ou julgamento autônomo ante uma mentira personalizada. A mentira personalizada é tratada pela primeira vez pela Sociologia, ou melhor, mais especificamente pelo ramo da Psicologia Social, em 1908, por Edward Alsworth Ross, famoso professor da Universidade de Wisconsin, em seu livro ‘Social Psychology, an Outline and Source Book’ (Infelizmente não o encontrei em português tive de lê-lo diretamente do inglês mesmo para dar conta de um estudo no Seminário do qual sou aluno, mas sugiro a você leitura dessa obra).

    Para não ficarmos no campo chato do acadêmico-técnico-conceptual, trocando em miúdos, a mentira personalizada é aquela mentira enraizada no consciente coletivo de um grupo. Por exemplo, pouco importa à determinada torcida se o gol feito pelo seu time foi roubado, o que importa é o gol... Para os comunistas-socialistas-marxistas não é preciso encontrar a verdade, pensar, refletir sobre determinada face da dialética que contradiz a sua tese porque os rótulos enraizados em seu pensamento falam pelo grupo coletivamente: “seu fascista”, “seu homofóbico”; “seu machista” e pronto, tem-se por repelida e refutado ‘in limine’ o pensamento que lhe opõe... Uma espécie de solipsismo certamente.

    Aliás, não é sem razão que os presbiterianos (leia-se calvinistas) tem maior facilidade de adesão às ideologias esquerdistas-marxistas da TMI: o que tem em comum é que pensamento é todo coletivista em oposição ao indivíduo. A salvação é para um coletivo (uns para a salvação e outros para a perdição) e não diz com o indivíduo individualmente, pois este não poderia escolher (porque agente eminentemente passivo na vocação...) O coletivo salvador já estaria posto de antemão... Porém, deixemos isso de lado, a questão da predestinação calvinista e a dialética socialista é outro assunto.

    Daí eu o convido você a pensar por si em detrimento da mentira personalizada enraizada em um grupo ou da nuvem meramente opinadora presbiteriana, até porque, acho um escândalo um blog apologético que senta o pau, notadamente nos pentecostais, abrigar e defender heresia e blasfêmia gravíssima tal como a predestinação calvinista!

    Continua...

    ResponderExcluir

  6. 2. Postulados Oficiais, Fontes Primárias e o conceito de predestinação por Luciano Sena.

    Eis os postulados oficiais da teoria da predestinação calcados nas seguintes fontes primárias recentes.

    a) CALVINO. In “ As Institutas” Vol 3, p. 376. Definição de termos’ e ‘8. Sumário Certo e Seguro’):

    “Denominamos predestinação o conselho eterno de Deus pelo qual ele determinou o que deveria fazer COM CADA ser humano (sic). Porque ele não criou todos em igual condição, mas ordenou (sic) UNS PARA VIDA ETERNA e OS DEMAIS PARA A CONDENAÇÃO ETERNA (sic). Assim, CONFORME A FINALIDADE (sic) para a qual o homem foi criado, dizemos que FOI (sic) PREDESTINADO PARA A VIDA OU PARA A MORTE”. (sic).

    a1)

    CALVINO:

    “Os pequeninos (crianças digo eu) QUE (condição- sic) recebem o sinal da regeneração e da renovação, se passam deste mundo ANTES DE CHEGAREM À IDADE DA RAZÃO (sic), CASO TENHAM SIDO ESCOLHIDOS (BARBARIDADE - sic!) pelo Senhor, são regenerados e renovados pelo seu Espírito, como lhe apraz, segundo o seu poder, para nós oculto e incompreensível” (As Institutas, Vol. III. p.11).
    b) CONFISSÃO DE FÉ DE WESTMINSTER: ‘CAPÍTULO X – DA VOCAÇÃO EFICAZ’

    “I. Todos aqueles que DEUS PREDESTINOU PARA A VIDA (sic), E SÓ ESSES (sic), é ele servido, no tempo por ele determinado e aceito, CHAMAR EFICAZMENTE PELA SUA PALAVRA E PELO SEU ESPÍRITO(...)”. "II. Esta vocação eficaz é só da livre e especial graça de Deus e não provem de qualquer coisa prevista no homem; NA VOCAÇÃO O HOMEM É INTEIRAMENTE PASSIVO (sic)....”.

    b1) ‘CAPÍTULO X – DA VOCAÇÃO EFICAZ’ "III. As crianças que morrem na infância, SENDO (condição, desde-de-que - sic) ELEITAS, são regeneradas e por Cristo salvas, por meio do Espírito, que opera quando, onde e como quer, Do mesmo modo são salvas todas as OUTRAS PESSOAS INCAPAZES (sic) de serem exteriormente chamadas pelo ministério da palavra.

    c) LUCIANO SENA. “O termo predestinação (destinar de forma antecipada) compreendo, à luz da Bíblia, que Deus escolheu da massa caída um número de pessoas que em algum momento na vida deles, deixarão de rejeitar a exortação do Evangelho, se renderão a Cristo, e serão salvos. Os demais serão deixados em sua livre e voluntária rejeição à oferta que lhes são apresentadas.

    Continua…


    ResponderExcluir
  7. 3. Veja agora o samba do criolo doido ou o quadrado redondo que é a teoria da predestinação calvinista e em quantos segundo ela permanece de pé e se ela blasfema ou não contra o Espírito Santo:

    Dos conceitos extraídos acima, tem-se muito claro e inconteste o seguinte:

    a) Cada ser humano, cada indivíduo, não tem escolha quanto ao seu destino eterno porque é apenas e tão somente agente passivo em relação ao ato da onipotência/soberania de Deus O qual de antemão escolheu uns para salvar e um tanto para condenar, crianças (inclusive as que não atingiram a idade da razão...) e o adulto, obviamente pouco importa, ele, indivíduo humano, sempre e sempre será tão-somente agente passivo de algo previamente estabelecido porque Deus é soberano...;

    b) A onipotência de Deus, soberano que é, só age proativamente e jamais em potência em ralação ao destino de um indivíduo humano passivo que é;

    c) Conclui-se das premissas ‘a’ e ‘b’ que: inexiste volição (escolha proativa do indivíduo humano em relação à salvação de sua alma) e tampouco nolição (escolha negativa, ou seja, a possibilidade de recusar a salvação de sua alma), ou seja, não faz a menor diferença escolher ou rejeitar porque em seu gene, em seu DNA tudo, tudo, tudo o que acontece já estaria predeterminado por Deus...

    Nesse sentido:

    c1) LUCIANO SENA, In ‘Adão e a Predestinação’:
    “O que você faria se estivesse no lugar de Adão (e/ou Eva)? A resposta de muitos é que – “faria diferente, que obedeceria a Deus”. Essa resposta é flagrantemente errada. Todos nós já fizemos algo que sabíamos que era errado e acabamos fazendo Esse é o gene de Adão. Adão não nos representou apenas teoricamente, mas de fato. As práticas de Adão, e Eva, seriam as nossas. Deus fez os primeiros humanos de uma maneira que pudessem representar todos que viessem após eles pactualmente, e os tais refletiram perfeitamente, naquele estado, o que qualquer um dos bilhões de humanos hoje faria, caso estivesse no Jardim do Éden”. (http://mcapologetico.blogspot.com.br/2014/03/adao-e predestinacao.html?showComment=1395951894605#c4279609567829860418)

    Continua…

    ResponderExcluir

  8. Nesse sentido, ainda, reverendo Augusto Nicodemos, coerente com Calvino e os gênios:


    “1 – Creio que Deus predestinou tudo o que acontece.”. “https://www.facebook.com/AugustusNicodemusLopes/posts/638511719534576)

    Veja bem. Friso e sublinho o “TUDO O QUE ACONTECE”. TUDO O QUE ACONTECE. TUDO O QUE ACONTECE. TUDO O QUE ACONTECE. TUDO O QUE ACONTECE e TUDO O QUE ACONTECE. As letras estão no estilo garrafais apenas para destaca-las e isso é tudo. Faço esta ressalva porque tem uma ‘mocinha’ toda sensivelzinha com um ressentimento assim casca-de-ovo, uma presbiteriana chamada Norma Braga dizendo que eu grito na internet quando escrevo em letras maiúsculas... Para essa moça, coitada, palavras escritas gritam de fato... Depois que ela me disse que a eleição de Israel dentre as nações seria a prova inconteste da predestinação calvinista e eu antão indaguei-lhe se isto era assim por que israelitas se perdiam, como os que foram tragados vivos pela terra ao adorarem o bezerro de ouro? Seria a predestinação da predestinação, a eleição da eleição? Desde então ela se trancou dentro do banheiro e ninguém a retira de lá nem por decreto. Melhor ouvido de mercador...

    Pois bem. Eis o conceito de predestinação calvinista.

    E dela, a Suma é a seguinte: a constatação da passividade absoluta do homem diante do agir proativo absoluto da onipotência de Deus no quesito salvação e perdição de cada alma.

    Daí já se deflui um amontoado de impossibilidades. Citarei apenas três.

    Primeira. Deus não deteria controle algum sobre a sua onipotência que só poderia atuar de um determinado modo em relação à salvação e a condenação de cada alma humana. Logo, a onipotência de Deus seria Deus e não Deus, Deus. Deus não poderia agir doutro modo ou simplesmente não agir. E por quê? Porque para o calvinista não tivesse Deus assim preordenado, assim predestinado Ele não seria Soberano...

    Não é que Deus, Soberano que é teria decidido predestinar. Não. É que a predestinação seria condição ‘sine qua non’ da própria substância ou essência da soberania de Deus, tanto é que:

    Segunda. A prova mesma desse fato estaria da passividade absoluta de cada indivíduo, incapaz que é, de escolher (quer volitir, quer nulitir) não tendo, portanto, como corolário lógico, responsabilidade por sua salvação ou perdição (“na vocação o homem é inteiramente passivo);

    Terceira. De modo que tal mecanismo divino (e mecanismo rima com mecanicismo...) seria, ele próprio, um repositório criador de todos os elementos que culminariam na salvação e na perdição de um homem passivo ou seja restrito à incapacidade de escolher livremente.



    Continua...

    ResponderExcluir
  9. Isto é coerente com que disseram, nesta ordem, o reverendo Augusto Nicodemos, Luciano Sena, Calvino e os gênios de Westminster:


    O reverendo Augusto Nicodemos: “Deus predestinou tudo o que acontece...”;

    Luciano: No gene de Adão foi previamente constituído e trabalhado de modo que ele só poderia ter desobedecido a Deus, pecado e, por consequência genética, não importaria quem estivesse no lugar de Adão, desobedeceria, pecaria de qualquer jeito, ou seja: “Todos nós já fizemos algo que sabíamos que era errado e acabamos fazendo Esse é o gene de Adão. Adão não nos representou apenas teoricamente, mas de fato. As práticas de Adão, e Eva, seriam as nossas...”;

    Calvino: “...Porque ele não criou todos em igual condição, mas ordenou uns para vida eterna e os demais para a condenação eterna”.

    Westminster: “Todos aqueles que DEUS PREDESTINOU PARA A VIDA, E SÓ ESSES"... II. Esta vocação eficaz é só da livre e especial graça de Deus e não provem de qualquer coisa prevista no homem; NA VOCAÇÃO O HOMEM É INTEIRAMENTE PASSIVO”.


    Só uma pequena ressalva. Você se contradiz no conceito de predestinação que acabara de enunciar:

    “O termo predestinação (destinar de forma antecipada) compreendo, à luz da Bíblia, que Deus escolheu da massa caída um número de pessoas que em algum momento na vida deles, deixarão de rejeitar a exortação do Evangelho, se renderão a Cristo, e serão salvos. OS DEMAIS SERÃO DEIXADOS EM SUA LIVRE E VOLUNTÁRIA REJEIÇÃO À OFERTA QUE LHES SÃO APRESENTADAS”. (destaquei).
    Não existe, de acordo com a conceituação de predestinação formulada por Calvino e os gênios de Westminster rejeição livre e voluntária à qualquer oferta apresentada aos destinados ao inferno... até porque a tal “oferta que lhes são apresentadas” é completamente inútil já que o homem na “vocação” é só agente passivo, ou seja, é só objeto e nunca, jamais sujeito, ele não pode agir volitivamente (aceitar) ou agir nolitivamente (rejeitar), ele só recebe a condenação decretada de antemão até porque em seu gene Deus, pela sua atividade, seu poder (soberano) já teria, segundo tal teoria, determinado tudo quanto se daria em relação a cada ser humano...


    4. Da Blasfêmia contra o Espírito Santo. (Mateus 12:22-32 e Marcos 3:22-30).

    A ignorância voluntária é indesculpável porque trata-se daquela em que nos furtamos diante daquilo que temos obrigação de saber.

    Pior: ainda mais quando o sujeito lida, em seu ofício, diretamente com a Bíblia. Por isso é que aquele que cuida em ser mestre receberá o mais duro castigo.

    Continua...

    ResponderExcluir

  10. A Premissa Muda havida em tais textos bíblicos que tratam da blasfêmia contra o Espírito Santo é a seguinte: a atribuição de elemento maligno ou pecaminoso justamente na constituição e realização do poder de Deus (leia-se onipotência).

    E tenho que despiciendo trazer o significado de premissa muda, acho que eu choveria no molhado de vez que você é apologista da igreja histórica, bíblica e reformada a qual contém, inclusive, doutores teólogos de altíssimo gabarito, de modo que não serei eu, um anónimo, insignificante, que explicaria a você coisa assim tão básica da hermenêutica.

    Pois bem.

    Pela onipotência de Deus, pelo seu poder, soberano Ele é, inseriu no gene Adão os elementos que permitiram a sua desobediência, o seu pecado, de modo que ainda que não fosse Adão, fosse qualquer um de seus descentes diante da árvore do conhecimento do bem e do mal teria praticado a mesmíssima coisa porque Deus, onipotente e, portanto, Soberano, predestinou tudo o que acontece ante um indivíduo absolutamente passivo, sem capacidade de decidir o seu destino já que Deus não criou todos em igual condição, mas ordenou uns para vida eterna e os demais para a condenação eterna e se isto é assim, então, por sua onipotência, por seu poder soberano, imbricou, irremediável e inalteravelmente no ato do homem caído o pecado, o mal, já que se absolutamente passivo o homem não poderia ele concorrer nem para o bem e nem para o mal cabendo a onipotência tal tarefa realizada por um Deus soberano que é.

    Isto é a teoria da predestinação calvinista e isto é, sem a menor dúvida, blasfêmia contra o Espírito Santo. Não tem para onde correr.


    5. CACP e JCP. Não sei do que se trata tal sigla JCP. Desconheço. CACP: sou amigo pessoal dos fundadores João Flávio Martinez e Paulo Cristiano da Silva, pessoas a quem muito estimo, considero e respeito. Se faço parte do site? Não. Não faço. Se milito na área exclusivamente jurídica para o site. Sim. Se sou apologista do site? Não. Não sou. Aliás, não sou apologista. Falo em nome de alguém, inclusive do CACP? Não. Falo em nome próprio. Represento o CACP ou alguém ou alguma igreja? Não. Não represento ninguém a não ser este que vos escreve. Só para não deixar dúvidas, do ponto de vista intelectual dedico-me atualmente à técnica de versificação de poemas e feitura deles e literatura clássica para ver se consigo dar conta de aperfeiçoar, quanto à metodologia, um trabalho que denominei ‘fanorestesis’ há mais de onze anos o qual ainda não me julgo apto e capacitado a conclui-lo e talvez nem daqui dez ou vinte anos, ou mesmo em vida receio não conseguir, de modo que também tenho refeito estudos na área da filosofia no Seminário em que estudo a fim de suprir deficiências e lacunas intelectuais de modo que não tenho outra atividade.

    E faço minhas as palavras de Olavo de Carvalho, torcendo para que não seja o seu caso ao fazer-me tais indagações: “Digo que o idiota julga as pessoas não pela veracidade ou falsidade do que elas dizem, mas pelo partido ao qual imagina que elas pertencem. O traço mais inconfundível do idiota perfeito é que ele não quer saber se o que você diz é verdadeiro ou falso. Só quer saber a que partido você pertence”.

    Quanto ao calvinismo, não tenho dúvidas de que “O homem está sempre pronto para distorcer aquilo que dizem seus sentidos, simplesmente para justificar a sua lógica”. Fiódor Dostoiévski

    Agostinho Antialienação

    ResponderExcluir
  11. Sr Agostinho, devido a ausência de tempo, irei responder por partes seus comentários. Que apesar de ter o pedantismo notório de suas palavras, não são irrefutáveis como o sr parece acreditar.

    1. A Bíblia fala que Timóteo sabia de "Quem" havia aprendido, as coisas que ele aprendeu da vida piedosa. Assim, não apenas o que se ensina, mas quem ensina, faz uma diferença, ainda que não seja determinante. Quem é Agostinho Antialienação e Luciano, para a história cristã? Nada com coisa nenhuma... assim, se grandes crentes na história também ensinaram a depravação total, e o sr Agostinho Antialienação nega, já começa em plena desvantagem. O sr se afastou de uma doutrina cristã firme e estabelecida, com amparo bíblico. Lamento... apenas isso.

    2. Quanto às suas objeções, que lançam mão de uma régua (algo como contraria às suas conclusões), só não tem sustentação bíblia. Há ampla base bíblica para sustentar as afirmações da CFW, visto que elas descrevem o pleito bíblico.

    A este que vos foi entregue **pelo determinado conselho e presciência de Deus**, prendestes, crucificastes e matastes pelas mãos de injustos;Atos 2:23
    Para **fazerem tudo o que a tua mão e o teu conselho tinham anteriormente determinado que se havia de fazer**.Atos 4:28
    Depois disse o SENHOR a Moisés: Vai a Faraó, **porque tenho endurecido o seu coração**, e o coração de seus servos, para fazer estes meus sinais no meio deles, E para que contes aos ouvidos de teus filhos, e dos filhos de teus filhos, as coisas que fiz no Egito, e os meus sinais, que tenho feito entre eles; para que saibais que eu sou o Senhor. Assim foram Moisés e Arão a Faraó, e disseram-lhe: **Assim diz o Senhor Deus dos hebreus: Até quando recusarás humilhar-te diante de mim? Deixa ir o meu povo para que me sirva**;
    Êxodo 10:1-3

    Redondo ou quadrado?

    Mais Bíblia sr Agostinho... submeta sua mente às Escrituras.

    Onde há blasfema contra o Espírito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Luciano Sena, boa noite.

      1. Olha eu sinto muito, você sequer percebeu, mas Timóteo - o QUEM referido por você - aprendera de Paulo, o apóstolo, o qual, por sua vez, aprendera de CRISTO...

      Daí já sai perdendo QUEM, ao contrário de Paulo, ‘aprende’ de Calvino, dos gênios de Westminster, de Augustus Nicodemos e assim vai...

      Nisto está toda a diferença, a saber: é necessário primeiro submeter a mente a CRISTO para, só então, submete-la às Escrituras.

      Porque senão correrão o risco de submeter as suas mentes a Calvino antes mesmo de chegarem às Escrituras...

      E daí que submetendo suas mentes a Calvino, aos gênios de Westminster em vez de Cristo, pensam que chegarão a Cristo por meio das Escrituras que, por tal razão mesma, mal compreendem e jamais compreenderão.

      2. A prova cabal desse fato está na citação parcial de passagens e versículos bíblicos que você acabara de empreender. Ora, citar a Bíblia é muito fácil, Satanás o fez com habilidade quando tentou a Cristo e eu mesmo posso citar um montão de passagens bíblicas e versículos que contradizem frontalmente a sua tese, não é assim? Mas indago: você entende o que lê? Mais ainda: sabe fazer a integração entre uns e outros com a realidade e ao TODO das Escrituras?

      Pior: você as lê livremente debaixo da mente de Cristo ou inevitavelmente de acordo com mente do herege Calvino...?

      Então o segredo está em submeter primeiro a mente a Cristo... Primeiro a Cristo, sempre. Poderei explicar isso a você depois, mas não vamos perder o foco de que é fato comprovado por mim em minha manifestação anterior de que a teoria da predestinação calvinista é blasfêmia contra o Espírito Santo. A MENOS QUE VOCÊ ME DEMONSTRE QUE NEM CALVINO E NEM OS GÊNIOS DE WESTMINSTER ESCREVERAM O QUE ESCREVERAM E QUE NÃO CONCEITUARAM O QUE CONCEITUARAM QUANTO O QUE VENHA SER PREDESTINAÇÃO. Sou paciente e sou todo ouvidos... Só que daí você terá que modificar, alterar, reinventar, revisionar os registros históricos contidos nas Institutas e na carta de Westminster... Veremos...

      E, para finalizar, embora não esteja convencido de que você realmente irá cumprir o que disse, ou seja “responder por partes” aquilo que eu julgo irrefutável, é que nenhum, absolutamente nenhum apologista, teólogo, PHD calvinista o fez até agora, já lhe adianto que sinto muito porque também nenhum dos versículos que você acabou de citar diz com a predestinação calvinista; mas vou aguardar, veremos se você irá mesmo responder ao meu e-mail anterior integralmente. Não acredito.

      E assim vou comentar os versículos bíblicos que você citou agora depois que você terminar de responder-me como você mesmo se comprometera para não tumultuar; mas só uma palinha, veja como definha um sofisma: SE A PASSAGEM BÍBLICA QUE VOCÊ CITOU ENVOLVENDO O ENDURECIMENTO DE FARAÓ, por exemplo, É APROVA MESMA DA TEORIA DA PREDESTINAÇÃO CALVINISTA, POR CERTO TAL REGRA PREDESTINATÓRIA ÍNSITA EM TAL EPISÓDIO DEVERÁ SER APLICADA COERENTEMENTE TAMBÉM AO EPISÓDIO ENVOLVENDO O HOMICÍDIO DE ABEL POR CAIM PORQUE A PREDESTINAÇÃO SERIA A ORDEM COSMOLOGICA, A REGRA PREORDENATÓRIA DE TUDO O QUE ACONTECE... PERGUNTO: DEUS ENDURECEU O CORAÇÃO DE CAIM PARA MATAR ABEL? É ISSO? E daí? Redondo ou quadrado? Só até aqui por enquanto.

      Pergunto: você entende o que lê? Lê com a mente de Cristo ou com a de Augustus Nicodemos?

      Se há blasfêmia contra o Espirito Santo na teoria da predestinação? Sim. Há. E é evidente.

      Agostinho Antialienação, Scire legis no est verba earum tenerem, sed vim ac protestatem...

      Excluir
    2. Sr Agostinho, creio que o sr pensa de seus argumentos com muito fervor, o que não são assim tão irrefutáveis. Como eu disse, aparenta um pedantismo bem saliente.

      1. Parece que Timóteo aprendeu de sua mãe e avó (II Tm 1.5; 3.14,15), bem como do Apóstolo (II Tm 3.10). Assim, sr Agostinho, sua refutação falhou. Quem leva a mensagem ode corroborar o conteúdo, portanto, não será "Agotinho Antialienação" que vai refutar a Igreja de Jesus Cristo a respeito da depravação total... sobre isso, devo te tratar como alguém ensinando uma heresia.
      2. O sr está mais preocupado em ficar causando algum tipo de afronta com o nome
      do rev Augustus... deixa ele.
      3. Os textos tratam de respostas claras - vide: não estou pedindo explicações... só ler, e não distorcer.
      4. Seus argumentos são apenas 'fumaça' para arder os olhos... sério mesmo. O sr está muito convencidos deles. Mas volto onde parei...

      Excluir
  12. Prezado Luciano Sena, desculpe-me mas o seu tom apelativo e passional é bastante desconcertante... Sabe a tal vergonha alheia? Pois é... Tá pegando mal amigo...


    Aguardo refutação se é que é capaz...

    Agostinho Antialienação para não passar vergonha.


    ResponderExcluir
  13. Respostas


    1. Vocês calvinistas são sempre assim, incapazes de argumentar, fazem pose...

      Só que sequer percebem que posar não é argumentar...

      Pose do tipo “Leia os comentários”... Como se tivesse assim argumentado ou impugnado algo... Risos. É só pose e isso é tudo.

      Pior: de duas, uma: ou o calvinista, de um modo geral, desconhece completamente o assunto, sequer chegando a sua intelecção a base mesma daquilo que professa (e daí é grave); ou além de não saber ler, não saber interpretar texto com um mínimo de proficiência, também não compreende o próprio mister de o seu ofício e muito menos o que eu estou a dizer obviamente...


      E daí que evidentemente não há possibilidade mínima sequer de um debate por pura deficiência na base intelectual daqueles que se propõem defender a teoria inidônea calvinista... E é claro que sempre hei de vencer por “W.O.” ...

      É que os meus oponentes nunca comparecem ao debate... Simples assim.

      E é por tal razão mesma que posam com ar de superioridade porque sem conseguirem impugnar os meus argumentos que contradizem, às escâncaras, a sua teoria, tudo o que lhes resta é só pose: empinam o narizinho dizendo-se pertencerem à “igreja histórica, bíblica e reformada” e pronto! Está impugnado o argumento! Ou seja, coisa de criança e de criança birrenta.

      Com efeito, não é sem razão, ainda, que vivem contornando a ‘questio litis’, fugindo dela como o diabo foge da Cruz, com argumentos do tipo: “Ah! Foi a vovozinha de Timóteo que o ensinou e não Cristo...”, Ah! Você quer um confronto com Augustus Nicodemos...”; “Me reporto aos textos acima”, aliás, já comentados corretamente por mim; e daí citam um monte de versículos bíblicos - um papagaio faria melhor porque tudo o que sabe fazer é reportar-se– sem qualquer argumento racional, analítico, ou mesmo elucubração da defesa de sua crença ou tese em ralação aos próprios versículos que citaram... Nada, nada, nada. Um verdadeiro “W.O.”...

      Por exemplo, eu mesmo coloquei em xeque com apenas uma indagação só que fundamentada, só que com argumento dialético e lógico, racional, objetivo e que guarda relação com o assunto, o cerne da teoria predestinatória calvinista ao fazer uma ligação entre o episódio citado por você sobre o endurecimento do coração de Faraó e o homicídio cometido por Caim em relação a Abel e de duas, uma, ou você não conseguiu compreender que nesse momento eu tinha acabado de refutar exatamente tudo o que você havia se reportado ou então você finge não compreender para manter a pose e, por tal razão, fica assim ‘pipocando’ de uma lado para o outro, toda hora fazendo menção de “leia os comentários” os quais não infirmaram jamais o que eu disse.

      Continua...



      Excluir
    2. E o que foi que eu disse e demonstrei racionalmente, com argumentos (Porque a Bíblia não foi escrita aos chimpanzés, mas ao Homem que possui capacidade cognoscente, de intelecção)?

      Eu disse o seguinte: que a teoria da predestinação calvinista é blasfêmia contra o Espírito Santo.


      E a blasfêmia contra o Espírito Santo é esta: não tendo cada indivíduo humano capacidade de escolher ou rejeitar a salvação porque inteiramente passivo, ou seja, não concorrendo ele nem para o bem e nem para o mal, coube, então, exclusivamente e só a Deus promover pela sua onipotência (poder) todos os elementos, incluindo o mal e o bem, em relação aos condenados e aos salvos isto porque aqueles rejeitados de antemão por Deus e estes salvos de antemão por Deus que predestinou tudo o que acontece, que inseriu no gene de Adão a predisposição mecânica ao pecado, ou uma semente maligna em seu gene para que ele, inconteste e inevitavelmente pecasse, assim como o fez com Caim que não tinha escolha senão matar Abel...

      E o que os fariseus disseram a respeito do poder de Deus traduzido em Jesus quando este expulsava demônios? Disseram isto: que o poder de Deus era maligno. Por isso blasfemaram contra o Espírito Santo. Não disserem, por exemplo, que Jesus era mentiroso, enganador, charlatão ou um farsante... Não. Disseram que em um dos atributos de Deus, a saber, a onipotência (quando ativa) é realizadora de pecado e malignidade.

      Assim prezado Luciano Sena, quando resolver comparecer ao debate me avisa, ou senão, aconselho a você que passe imediatamente a escrever a respeito de perfumarias assim: “Da mulher piedosa”, “Do marido ideal” “da Vovozinha de Timóteo” e assim vai...

      Agostinho Antialienação e anti-Pose para corajosos.

      Excluir